Províncias

Município quer responsabilizar donos de terrenos abandonados

Justino Vitorino | Huambo

 O administrador municipal do Huambo, Armando Capunda, alertou ontem os proprietários de terrenos leiloados pelo Estado para o facto de terem de legalizar os espaços a si adjudicados e que até à data não estão a ser aproveitados.

 O administrador municipal do Huambo, Armando Capunda, alertou ontem os proprietários de terrenos leiloados pelo Estado para o facto de terem de legalizar os espaços a si adjudicados e que até à data não estão a ser aproveitados.
De acordo com Capunda, caso as orientações da administração não sejam cumpridas, o governo vai tomar medidas contra os infractores, com base nas leis vigentes, sobretudo a Lei de Terras. “A administração vai retirar estes espaços para os entregar às pessoas interessadas no desenvolvimento da cidade e da própria província,” disse.
Disse ainda que o departamento de repartição jurídica e administrativa vai dar, nos próximos tempos, instruções aos cidadãos sobre a forma como deverão proceder à legalização dos terrenos destinados à autoconstrução dirigida. “Estou preocupado e insatisfeito pelo facto destes sítios estarem a desfigurar a boa imagem da cidade do Huambo. Dentro da cidade há sítios a que chamamos ilhas de capim. Para  uma cidade que concorre para ser uma das mais ecológicas do país isto não se admite”, disse Capunda. A concluir, sublinhou que muitos cidadãos têm sob a sua responsabilidade espaços que se encontram abandonados, sem vedação, a servirem de áreas de diversão ou esconderijo para meliantes, ou ainda, na maioria dos casos, com sujidade que danifica a boa imagem da cidade.

Tempo

Multimédia