Províncias

Namacunde investe no sector social

Elautério Silipuleni | Namacunde

A construção de escolas, unidades sanitárias e de sistemas de captação e distribuição de água potável nas comunidades são as principais acções do programa da Administração Municipal de Namacunde, disse, ontem, o administrador circunscrição.

Estão a ser construídas várias infra-estruturas de impacto social para melhorar a qualidade de vida da população da região
Fotografia: Joaquim Manuel Aguiar

Apolo Ndinoulenga falava ao Jornal de Angola sobre as obras em curso em Namacunde e disse constituir o sector social  absoluta prioridade, com destaque para o programa de cuidados primários da saúde, a requalificação urbana da povoação fronteiriça de Santa Clara, escolas, infra-estruturas de água e saneamento básico, bem como o fomento agrícola.
“A actual conjuntura macroeconómica e financeira do país exige uma gestão parcimoniosa dos recursos e por isso temos de executar as acções prioritárias, sobretudo para acudirmos as populações que sofrem as consequências da seca”, sublinhou. “O grande desafio  das autoridades é a construção e abertura de pontos de água no interior do município.” />O administrador municipal de Namacunde informou que pelos menos 120 mil pessoas necessitam de água e alimentos, numa altura em que não se esperam boas colheitas devido à seca severa. Este mês, acrescentou, são inaugurados sistemas de abastecimento de água potável nas localidades de Oukwandubo, Okawe, Chiedi, Oshana Sha Nandjili e noutras que foram seriamente afectadas pela seca. “O sector da Educação teve um crescimento significativo e hoje o município tem 79 escolas, sendo uma de formação de professores, dez do primeiro ciclo  e as outras do ensino ­primário”, ­referiu Apolo Ndnoulenga. O administrador de Namacunde disse que o município possui 17 unidades sanitários, das quais um hospital, seis centros e um posto de saúde.

Tempo

Multimédia