Províncias

Adultos vandalizam bens públicos

João Upale| Namibe

O presidente do Conselho Provincial da Juventude (CPJ) no Namibe denunciou quinta-feira a atitude de adultos que praticam actos de vandalismo, com destaque para a destruição de bens públicos postos à disposição da população.

Um ângulo da cidade do Namibe onde muitos bens públicos postos à disposição da população têm sido vandalizados
Fotografia: Afonso Costa

António Vidigal Lopes, que falava no âmbito da abertura das jornadas comemorativas do 28 de Agosto, em saudação ao aniversário do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, lamentou o facto destes adultos não terem em conta os avultados gastos dos cofres do Estado.
Na actividade, que decorre até 31 deste mês, sob o lema “Juventude da terra da felicidade, comemora o 28 de Agosto com gosto”, o responsável disse que as pessoas devem primar pela conduta exemplar. Quanto aos jovens, o líder da CPJ apelou para que esta franja da sociedade perceba qual a sua máxima responsabilidade naquilo que lhe é devido.
“O Executivo não cria espaços de lazer ou constrói escolas, hospitais e demais infra-estruturas sociais e económicas, para um determinado grupo, mas para todos", referiu.
Os jovens têm responsabilidades acrescidas e devem cuidar de tudo o que for colocado à disposição das populações, numa altura em que “não só alguns jovens destroem mas também há mais velhos que o fazem”, lamentou. António Vidigal Lopes afirma ter já interpelado vários adultos, alguns destes com idoneidade reconhecida, por praticarem actos de vandalismo, um mau exemplo para os mais novos.
O Namibe torna-se terra da felicidade quando todos os seus habitantes se engajarem. “Este slogan tão inteligente, escolhido pelo governador provincial, Rui Falcão, deve incentivar a que cada um faça a sua parte, não deixando só o Governo, quando todos devemos contribuir para o bem comum”, acrescentou.
O jovem dirigente aconselhou os mais velhos e chefes de família a não fugirem das suas responsabilidades e que deixem de acusar os jovens como os principais e únicos destruidores dos bens públicos.
Os pais devem educar bem os seus filhos em casa, no bairro, na vizinhança e nas famílias.
A interacção entre vários estratos sociais da juventude na província é salutar, uma vez que não se olha para o credo religioso, raça ou diferença política.
A jornada reserva seminários sobre “A juventude na preservação dos bens públicos” e “A juventude na cultura de preservação da paz em Angola”, além de visitas em projectos de grande impacto social nos municípios da Bibala, Camucuio, Tômbwa, Namibe e Virei.

Tempo

Multimédia