Províncias

Aeroporto tem espaços à disposição dos empresários

João Upale| Namibe

Empresários dos mais diversos ramos de actividade na província do Namibe foram informados quinta-feira sobre a existência de espaços no Aeroporto Welwitschia Mirabilis que podem ser explorados.

Aeroporto Welwitchia Mirabilis foi remodelado e ampliado para oferecer melhores condições à população e aos turistas que visitam a província do Namibe
Fotografia: Afonso Costa

A Direcção Provincial da Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENANA) promoveu um encontro com a classe empresarial com vista a reflectir sobre as grandes vantagens da existência de um aeroporto com padrões internacionais, como o Welwitschia Mirabilis, inaugurado em Fevereiro pelo Presidente José Eduardo dos Santos. O administrador para a Rede Aeroportuária provincial, Emanuel Kandengue, um dos objectivos é criar balizas que interajam com a nova era do aeroporto do Namibe, numa perspectiva assente no modelo actual do Conselho Internacional dos Aeroportos (ACI – sigla inglesa).
“Hoje, um aeroporto deve ser um lugar mais atractivo e povoado de negócios em benefício dos utentes”, disse, referindo que é necessário deixar o modelo tradicional de negócios aeroportuários em que existe uma orientação dos governos no que diz respeito às companhias, passageiros e carga.
“Os aeroportos, além de constituírem porta de entrada de um determinado país, região ou cidade, são também a imagem da hospitalidade e do seu desenvolvimento”, disse. O Aeroporto Welwitschia Mirabilis, inaugurado a 13 de Fevereiro, depois de ser ampliado, remodelado e modernizado, passou de uma área de 1.400 metros quadrados para cerca de seis mil metros quadrados, oferecendo mais espaços para logísticos, comerciantes e empresários.
Emanuel Kandengue disse ser importante reflectir sobre as facilidades e oportunidades que foram criadas neste aeroporto e postas à disposição dos empresários e da comunidade, oferecendo um ambiente no qual a criatividade local, conjugada com as normas e procedimentos da Aviação Civil, permita transformar o Aeroporto do Namibe num “centro de negócios com um sabor local”.
O vice-governador para o sector Económico, Alcides Gomes Cabral, saudou a iniciativa da ENANA visando a transmissão de orientações e a troca de impressões com agentes bancários e empresários sobre a ocupação e exploração dos espaços físicos existentes no aeroporto Welwitschia Mirabilis.
“Trata-se de mais uma oportunidade que é oferecida a todos os empresários, que por esta via promovem novos negócios, empregos e a consequente melhoria das condições de vida da população do Namibe”, frisou, apelando a todos quantos venham a beneficiar dessa oportunidade de negócio que se empenhem com afinco, cuidando do
património que lhes for contratualmente cedido, “tendo sempre presente que os aeroportos são a porta de entrada e de saída da província, a nossa sala de visitas”.
O director-adjunto para negócios não-aviação, Domingos Sá da Silva, disse que o Decreto 19/2000 de 31 de Março atribui responsabilidade à ENANA de buscar fontes de receitas através de negócios de aviação e extra-aviação, havendo por isso a necessidade da empresa de incentivar a classe empresarial para que, através do aeroporto, divulgue os seus produtos e empresas, trabalhando nas marcas, publicidade e marketing.
“Este é o nosso objectivo, dinamizar o negócio aeronáutico, mas também incentivar, relançar o negócio não-aviação em todos os aeroportos, principalmente aqueles que estão a ser ampliados e modernizados com o investimento do Estado”, sublinhou. Domingos Sá da Silva reconheceu que os negócios não-aviação nos aeroportos nacionais ainda não têm a dimensão desejada, já que a preocupação do momento é a ampliação e criação de novas infra-estruturas.

Tempo

Multimédia