Províncias

Bairro Nambambi forma professores

A construção da escola do Magistério Primário no bairro do Nambambi, arredores da cidade do Lubango, dá novo impulso à formação de professores para desenvolver o processo de ensino e aprendizagem em várias escolas da província da Huíla.

A foto documenta o momento em que o governador provincial visitava um dos laboratórios da nova escola do Magistério Primário
Fotografia: Estanislau Costa

A construção da escola do Magistério Primário no bairro do Nambambi, arredores da cidade do Lubango, dá novo impulso à formação de professores para desenvolver o processo de ensino e aprendizagem em várias escolas da província da Huíla.
A nova escola do Magistério Primário vai cobrir o vazio que existia na formação de professores do primeiro ciclo.
O estabelecimento de ensino, inaugurado quinta-feira pelo governador da província da Huíla, Isaac dos Anjos, começa a funcionar no ano lectivo de 2011, com 700 alunos nos períodos da manhã e da tarde. A direcção da escola estuda também a possibilidade de aulas nocturnas.
A escola custou nove milhões de dólares, tem 18 salas, três laboratórios de química, física e informática, biblioteca e área administrativa com 17 gabinetes.
As disciplinas de música e desenho mereceram especial atenção, com a implantação de salas equipadas para desenvolver a arte de cantar e produzir obras plásticas, com vista a descobrir talentos.
Para permitir o ingresso no curso de professores aos jovens da Huíla e de outras províncias, foi construído um lar com capacidade para acomodar dezenas de estudantes em regime de internato.
A implantação do Magistério Primário no bairro Nambambi deixou satisfeitos os jovens que querem ser professores. Com a nova escola evitam percorrer diariamente longas distâncias para atingir o centro da cidade do Lubango.
O jovem João Nambalo enalteceu a iniciativa por dar “uma oportunidade às pessoas que vivem nos bairros e que têm de se deslocar a pé ou de táxi para frequentarem as escolas do centro da cidade”.
Nambalo concluiu a nona classe este ano lectivo e já prepara a documentação para ingressar na escola do Magistério Primário, erguida no seu bairro. “Para completar a documentação só falta o certificado de habilitações. Mas quando começarem as matrículas vou ser um dos primeiros, porque quero ser professor e a escola está aqui perto”.
O soba Elias de Sousa, que testemunhou a abertura do complexo escolar do Nambambi, disse que “é bem vindo o projecto que visa a instalação de escolas do I e II ciclos nos bairros e comunas, por estarem mais próximas da população estudantil e motivarem aqueles que não gostam de estudar”.Os bairros começam a ter nova imagem com as imponentes obras escolares e processo de reorganização da periferia. “As escolas com esta dimensão vão contribuir para o desenvolvimento das zonas suburbanas e eliminar os índices de delinquência no seio dos mais jovens”, disse o soba Elias de Sousa.   

Tempo

Multimédia