Províncias

Camiões podem circular em breve

Estanislau Costa e Alfredo Chivia | Quilengues

A circulação de camiões de longo curso, entre Lola, município de Quilengues, e Bibala, província do Namibe, é em breve reposta, com a conclusão das obras de reabilitação da ponte do rio Tchanewa.

As obras na ponte incidem na reparação e reforço das infra-estruturas de suporte
Fotografia: Dombele Bernardo

A ponte tem 57 metros de comprimento, oito de largura e sete de altura e há vários meses deixou de ser utilizada pelos camionistas, em consequência da degradação provocada pela antiguidade. A ponte foi construída em 1953.
O administrador municipal de Quilengues, Armando Vieira, disse ao Jornal de Angola que as obras incidem na reparação e reforço das infra-estruturas de suporte, desassoreamento do rio e colocação de protectores de segurança para os peões.
A ponte tem capacidade para suportar cerca de 30 toneladas. Mas quando forem concluídas as obras, é permitida apenas a passagem de camiões até 20 toneladas.
O escoamento de produtos agrícolas e animais diversos, entre as localidades de Lola, Quicuco e Hole, em Quilengues, e as várias povoações do município da Bibala, na província do Namibe, passa a ser feito sem necessidade recorrer a carroças.Os camionistas estão satisfeitos com a reabilitação da ponte do rio Tchanewa por criar condições adequadas para o recomeço do transporte de mercadorias e bens de Quilengues para a Bibala.“O uso desta via alternativa leva muito tempo e encarecia o custo do frete. Muitos comerciantes deixaram de adquirir produtos na referida zona  por causa dos vários constragimentos.

 Acácias na vila.

 Mais de 700 acácias foram plantadas em vários pontos do município de Quilengues, 150 quilómetros a norte da cidade do Lubango, no quadro da execução do programa de repovoamento e arborização da localidade.
 A plantação vai atingir 5.000 árvores e envolve a Administração Municipal de Quilengues, o Instituto de Desenvolvimento Florestal e associações de jovens e estudantes. A adesão dos munícipes  foi saisfatória e acreditam que a localidade vai ficar mais verde nos próximos seis meses com a plantação de áres em vários pontos da urbe.

Tempo

Multimédia