Províncias

Casos de intoxicação em análise no Namibe

João Upale | Moçâmedes

Um total de trinta técnicos de saúde, entre gestores dos hospitais, médicos, supervisores, enfermeiros e líderes das autoridades tradicionais, dos municípios da Bibala, Camucuio, Moçâmedes, Tômbwa e Virei, participou, em Moçâmedes, província do Namibe, numa acção formativa sobre toxicologia, promovida pelo Centro de Investigação, Informação de Medicamentos e Toxicologia (Cimetox) de Malanje, em parceria com o Gabinete Provincial da Saúde local.

Fotografia: DR

O chefe de Departamento para a Saúde Pública do Namibe, João Mundiambo, destacou a importância da acção formativa, por a toxicologia estar relacionada com muitas áreas ligadas à mordedura de serpentes, envenenamento, medicamentos e produtos agrícolas, entre várias formas de intoxicação.

O prelector da formação, o decano da Faculdade de Medicina de Malanje, André Pedro Neto, disse ao Jornal de Angola que, num esforço conjunto, as instituições sanitárias de Malanje e Namibe pretenderam realizar este encontro tendo como objectivo fundamental descrever a conduta terapêutica em caso de intoxicação aguda, com foco, também, nas mordeduras por serpentes. “Da interacção com os colegas, conseguimos perceber que foi um contacto valioso, na medida em que trouxemos alguma matéria que vai servir de apoio no exercício da profissão e contribuir para a redução da morbi-mortalidade por intoxicações agudas”, disse.
Pedro Neto, que também dirige o Centro de Investigação e Informação de Medicamentos e Toxicologia de Malanje, disse que o encontro visou alertar os profissionais da Saúde na província do Namibe sobre os efeitos dos produtos químicos, conhecer as propriedades físico-químicas de cada um deles e ter as medidas importantes para reverter qualquer quadro de intoxicação.
O decano lembrou que actualmente é conhecida a existência no mundo de mais de cem milhões de produtos químicos e muitos pacientes e profissionais da Saúde não têm a cultura de fazer a consulta de toxicologia.
Instado a falar sobre a expansão do Cimetox para as demais províncias, Pedro Neto entende que tudo dependerá dos recursos humanos e financeiros e das condições que cada Gabinete Provincial da Saúde criar.

Papel dos sobas
O formador ficou satisfeito com os níveis de absorção de conhecimentos, em função das intervenções e contribuições apresentadas.
Pedro Neto afirmou que foi pedida a presença das autoridades tradicionais, dado o papel que exercem nas comunidades. Segundo Pedro Neto, são os primeiros que entram em contacto com as vítimas de mordeduras de serpentes.

Tempo

Multimédia