Províncias

Centenas de alunos pediram aos adultos para combaterem a violência na família

João Upale | Namibe

As crianças do Namibe pedem aos adultos o fim das “crianças de rua e na rua”. Numa mensagem por ocasião do “Dia da Criança Africana” na escola Rei Mandume,

Executivo tem criado condições sociais para o desenvolvimento das crianças
Fotografia: Afonso Costa

As crianças do Namibe pedem aos adultos o fim das “crianças de rua e na rua”. Numa mensagem por ocasião do “Dia da Criança Africana” na escola Rei Mandume, bairro Saco Mar, centenas de crianças dos municípios da Namibe imputaram a responsabilidade da existência de “crianças de rua” aos pais e às acções de violência contra as crianças no seio das famílias, na comunidade e instituições sociais, não obstante os esforços do Governo Provincial e do Executivo.
“Na era da paz, o Executivo tem criado condições sociais para o bem-estar das famílias e, em particular, das crianças. Contudo, a situação da criança de rua é um fenómeno fruto das calamidades naturais, de abandono, da rejeição, dos maus-tratos, problemas familiares e das crises económicas, consubstanciados na miséria, desemprego, fome, migrações para as cidades”, refere a mensagem lida por Vayela Tchikemba.
Devido à ausência dos pais que são responsáveis pela sobrevivência das crianças, elas acabam por assumir essa tarefa, recorrendo a trabalhos forçados, prostituição e delinquência e abdicam da actividade fundamental – o estudo – como o fazem as outras crianças em situação normal, diz a mensagem.
As crianças reconheceram, também, que o trabalho infantil deve continuar a ser combatido pela sociedade por ser um obstáculo ao desenvolvimento físico e psíquico da criança.
As crianças também pedem o cumprimento dos “onze compromissos”  assumidos entre os Governos, as Nações Unidas e os parceiros sociais a favor das crianças de Angola.
Pediram igualmente para o Executivo continuar a combater a pobreza e promover a cultura, garantindo o apoio através da integração social e da protecção integral dos direitos da criança, erradicando o fenómeno social das crianças de rua e combatendo o trabalho infantil. O administrador do Namibe, Armando Valente, frisou que o Executivo tem cumprido os “11 compromissos” com acções que promovem o bem-estar da criança, com a construção de escolas, centros comunitários e infantis, postos médicos, hospitais e outras infra-estruturas que melhoram a educação e a saúde.
A governadora Cândida Celeste felicitou as crianças e lançou um repto aos pais: “garantam uma convivência sã com os filhos pois eles são o garante do amanhã.”

Tempo

Multimédia