Províncias

Cidade do Namibe respira ar cada vez mais puro

Manuel de Sousa| Namibe

A cidade do Namibe, que celebrou no dia 4 deste mês 165 anos, tem registado melhorias consideráveis, fruto do forte investimento das autoridades governamentais.

Panorâmica da cidade do Namibe onde estão a ser reabilitadas e construídas várias infra-estruturas para melhorar a qualidade de vida
Fotografia: Afonso Costa|Namibe

Namibe ganhou uma modernização acelerada, com realce para a construção de várias infra-estruturas e reabilitação de outras, como escolas, estradas, hospitais, estabelecimentos hoteleiros, centros comerciais.
A ampliação e modernização do Aeroporto Internacional Welwitschia Mirabilis, a reestruturação do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, a construção da Academia de Pescas e do Ar, a nova centralidade na zona da Praia Amélia, as melhorias a nível do Porto Comercial são algumas acções de vulto realizadas pelas autoridades governamentais.
As melhorias a nível do Mineraleiro, da vila Celeste, hospital materno-infantil, avenida 11 de Novembro, edifício do Governo Provincial, reabilitação total das estradas Namibe/Tômbwa e Namibe/Lucira/Benguela, assim como da ponte sobre o rio Curoca e a colocação do tapete alternativo da Serra da Leba, passando por Bibala, são outros ganhos registados nos últimos tempos.
Num balanço, as autoridades provinciais consideram que os programas municipais de desenvolvimento e combate à pobreza estão de forma clara a melhorar a vida das populações, principalmente nas zonas rurais, onde nascem vários postos e centros médicos, escolas, furos de água, para o consumo humano e do gado, casas para professores e enfermeiros e a criação da merenda escolar.
O relançamento da agricultura nas localidades Cavelocamue, Ombo, Piambo, Saiona e outras estão já a dar frutos e a mentalizar a população sobre a necessidade de trabalhar a terra para combater a fome que nos últimos anos tem assolado a região, por causa da seca.
Para combater a seca, as autoridades criaram um programa com abertura de furos de água, represas, chimpacas e outros reservatórios, que estão a minimizar o problema.
No campo da Educação, o sector regista grandes avanços, com o aumento da rede escolar em todos os municípios e a construção de campos polivalentes, expansão do programa de merenda escolar e de instituições do ensino secundário e profissional.
As autoridades salientam que a reforma educativa está a ser bem implementada, com a criação de zonas de influência pedagógica, seminários quinzenais para os professores dos mais distintos níveis, além da merenda que ajuda na redução assinalável de crianças fora do sistema de ensino, principalmente os filhos de criadores de gado, que devido à escassez de chuvas são obrigados a percorrer distâncias à procura de água e pasto.
O ensino superior também está a registar um aumento significativo de técnicos nas mais distintas áreas do saber, aumentando assim o nível cultural e académico dos habitantes do Namibe e a capacidade para um melhor desenvolvimento da província.

Campo da Saúde

A província possui cinco municípios e 11 comunas, em que funcionam 89 unidades sanitárias públicas, sendo dois hospitais provinciais de referência, um sanatório, cinco hospitais municipais, dez centros de saúde, quatro postos médicos e 64 farmácias.
De acordo com o Plano Nacional de Desenvolvimento Sanitário, está a ser projectada a evolução da situação sanitária num período de cinco anos. O Plano Nacional 2012/2025 vai permitir a prevenção e o controlo de doenças, com destaque para a erradicação da poliomielite, prevenção e combate à malária, infecções sexualmente transmissíveis, incluindo o VIH/Sida, e tuberculose.
A eliminação das doenças negligenciadas, lepra, respostas às epidemias, doenças de nutrição, reabilitação para pessoas com deficiência censora motora e outros males são igualmente previstos no programa.

Sector das Pescas

O sector das pescas tem merecido uma atenção especial do Executivo e do Governo Provincial, que procuram reavivar as infra-estruturas em terra, que estão na base do baixo nível de captura de pescado.
Assim, o Conselho Nacional das Pescas definiu metas, que vão permitir o renascimento dos altos níveis de captura, principalmente na vilas piscatórias do Tômbwa e Lucira, que foram consideradas grandes mercados de peixe.
A aposta nas pescas artesanal e semi-industrial, a fiscalização, concepção de créditos aos armadores e aos pescadores, tratamento, conservação, comercialização do pescado afiguram-se como pontos fortes para o relançamento do sector pesqueiro na província, base de sobrevivência da maior parte das populações ribeirinhas.

Cultura e arte

Na vertente cultural, os residentes e visitantes podem desfrutar da beleza ímpar dos principais sítios históricos e monumentos, como são os casos do Boinene, fortaleza de São Fernandes, pinturas do Iaia, entre outras.
A arte funerária Mbali, feita pelos angolanos, as inscrições da Torre do Tombo, primeiras deixadas pelos navegadores europeus, figuras rupestres do Tchitundu Hulu, que concorrem a património mundial da humanidade, são outros lugares de destaque.
A média de visitantes estrangeiros nesta altura do ano é de mais de 100 por mês, que além de frequentarem os sítios históricos e as figuras rupestres, apreciam as exposições dos hábitos e costumes dos cuvales, no Museu Provincial.
A reabilitação e modernização do edifício da Cultura afiguram-se também como ganhos no capítulo das infra-estruturas, já que se encontrava em estado de degradação avançada.
A Direcção Provincial da Cultura trabalha, em parceria com o Comércio, Hotelaria e Turismo, no sentido de coordenarem actividades, para que todos que se desloquem à cidade tenham contacto com aquilo que a província tem de melhor, em termos culturais e de produção interna.

Tempo

Multimédia