Províncias

Cientistas em busca de fósseis milenares

João Upale | Namibe

Um projecto de investigação científica denominado “Paleo – Angola” foi lançado esta semana, na Baía das Pipas, 33 quilómetros a noroeste da sede da província do Namibe, com vista à escavação e descoberta de fósseis de dinossauros e outros répteis que habitaram na região, há muitos milénios.

A pesquisa está a ser efectuada ao longo da costa marítima da província do Namibe
Fotografia: Jornal de Angola

Um projecto de investigação científica denominado “Paleo – Angola” foi lançado esta semana, na Baía das Pipas, 33 quilómetros a noroeste da sede da província do Namibe, com vista à escavação e descoberta de fósseis de dinossauros e outros répteis que habitaram na região, há muitos milénios.
O projecto foi criado na província pela Liga 4 de Abril, em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, financiado pela Sonangol e suas associadas do Bloco 15, através da Esso Exploration Angola, no quadro das suas responsabilidades sociais. A pesquisa está a ser desenvolvida a nível da Costa Marítima do Namibe, a partir da Baía das Pipas até ao Bentiaba.
O responsável da Liga 4 de Abril, Mondlane Pereira, revelou que o objectivo é fazer com que os estudantes e comunidade em geral aprendam mais sobre as Ciências Arqueológicas do país.
Além disso, a pesquisa científica pode trazer novidades para o ramo da ciência no país, se for tido em conta que as fontes históricas podem ser orais, escritas ou materiais.  Em seu entender, está-se perante uma fonte material de conhecimento histórico, sobre a arqueologia do passado de Angola, que tem a ver com a fauna.
Mondlane Pereira afirmou que, neste momento, os cientistas já conseguiram encontrar alguns fósseis de dinossauros escavados no território do Bentiaba, e que a nível da Baía das Pipas podem igualmente ser encontrados outros crânios.
O director-geral da Esso Exploration Angola, Stefani Maiheu, esclareceu que o projecto foi concebido para durar mais de sete anos e que a descoberta é muito importante, tanto para o país como a nível do mundo, por se tratar de uma nova área na exploração científica da história passada do país e também do continente.
O vice-governador para o Sector Económico, Alcides Cabral, considerou que a exploração do potencial acervo fóssil e a sua consequente divulgação vai trazer à luz o conhecimento mais perfeito da riqueza no domínio da paleontologia da província.

Tempo

Multimédia