Províncias

Comércio do Namibe está bem abastecido

Manuel de Sousa | Namibe

As ruas da cidade do Namibe registam grande movimento de pessoas à procura de bens e produtos habituais da época natalícia. Nos principais centros comercias, mercados paralelos, instituições bancárias e outros serviços, o movimento é enorme, em busca de melhores condições para uma quadra festiva tranquila e com o essencial à mesa.

Panorâmica da cidade do Namibe que regista grande movimento de pessoas à procura de bens e produtos para esta quadra festiva
Fotografia: Francisco Lopes

Nos armazéns grossistas da província o movimento também é grande, porque além da obtenção dos produtos alimentares para as festas de Natal e do Ano Novo, a maior parte dos citadinos procura reforçar os seus stocks, para que o mês de Janeiro não seja de carência, como muitas vezes tem ocorrido.
Os retalhistas vão reforçando cada vez mais as suas prateleiras com os principais produtos procurados nesta altura. O Nosso Super, actualmente o maior centro comercial da cidade do Namibe, é pequeno para tantos consumidores, que preferem antecipar as compras, para não deixarem tudo para a última hora.
A gerente do Nosso Super, Valmina Filipe, confirma que a agitação nesta altura é muito grande, também devido às promoções dos principais produtos consumidos no dia da família e na passagem de ano.
“Estamos a receber encomendas de cabazes de várias empresas como o Porto Comercial, instituições bancárias, Polícia Nacional, entre outras. Felizmente temos produtos para dar resposta às exigências”, garantiu.
A gerência do supermercado decidiu alterar o horário de atendimento público. De segunda a sábado, das oito às 22 horas, aos domingos até às 12 horas, o que está a facilitar a vida dos clientes.
Além de produtos alimentares, bebidas e outros mimos do Natal e Ano novo, o Nosso Super dispõe de uma gama de electrodomésticos, brinquedos, entre outros produtos mais procurados nesta época de festas.
O proprietário do armazém grossista Gomes Vunda refere que este ano os clientes têm muitas opções de escolha, já que o número de armazéns e lojas na província aumentou significativamente nos últimos tempos, o que se reflecte igualmente na redução dos preços, em função da concorrência.
“As pessoas hoje têm um maior poder de escolha, na medida em que existem vários locais de compra de produtos, daí o grande movimento na cidade, porque os nossos clientes ganharam a cultura de compararem os preços nos vários empreendimentos”, disse.
Maria Jambela, vendedora de louças e utensílios de cozinha no Mercado 5 de Abril, disse que a procura destes bens é grande nesta época, já que muitos clientes desejam embelezar as suas mesas com produtos de melhor qualidade.“São mais as donas de casa que procuram pratos, copos, chávenas, talheres e outras coisas para a cozinha ou para enfeitar a mesa” disse.
Os armazéns da Angoalissar e Arosfram são os maiores da cidade no que toca à venda a grosso de produtos alimentares, por isso registam também grande movimento de clientes, sobretudo de agentes revendedores e comerciantes ambulantes. Estes últimos “zungam” pelas ruas oferecendo árvores de Natal artificiais e outros produtos referentes à quadra festiva, em concorrência directa com as lojas que vendem os mesmos produtos.
As três lojas da Sicopal que comercializam principalmente produtos do mar aplicam-se na oferta da maior diversidade aos seus clientes nesta altura do ano. Além dos consumidores locais, muitas pessoas deslocam-se de outras províncias como Huíla, Cunene e Benguela, à procura de mariscos, como caranguejo, camarão e lulas.
O mercado do peixe e os talhos da cidade do Namibe são também locais muito visitados pelos consumidores com o fim de criarem reservas alimentares para o período de festas.
 
Vestuário e gás
 
As lojas de roupa e outros acessórios procuram também caprichar para agradar aos que querem presentear familiares e amigos ou manter um novo visual, oferecendo novidades.
Maria Francisco, moradora no bairro Valódia e mãe de seis filhos, estava na loja de roupa Pepe. Disse que o momento é propício para oferecer roupas novas à família, para que todos possam passar a quadra festiva em alegria e muita paz. “Os preços aqui são muito baixos e ao alcance do bolso de todos, a loja tem promoções e isso facilita adquirir algumas roupinhas para as crianças”.
O abastecimento de combustíveis e gás butano continua normalizado no Namibe, o que  tranquiliza as populações que mesmo assim vão já procurando prevenir-se, evitando correrias na altura das festas.
 
Licenças das festas

Os organizadores de festas de fim de ano devem contactar a Direcção Provincial da Cultura, com 72 horas de antecedência, e  a Polícia Nacional, a fim de obterem autorização para a sua realização durante este período.
De acordo com o chefe de departamento de promoção de  festas da Direcção Provincial da Cultura, Firmino Barros, esta instituição vai trabalhar no sentido de averiguar os locais em que se realizamfestas e, posteriormente, produzir um lista com os
locais autorizados, remetendo cópias à Polícia e aos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros.
“Aqueles que não cumprirem vão sentir a mão pesada da Lei”, disse o responsável da Cultura.
A Polícia Nacional garante segurança à altura das exigências da quadra festiva a todos os cidadãos da província do Namibe.
A garantia foi dada pelo comandante provincial, José Moniz, referindo que a corporação vai levar a cabo acções para que os cidadãos possam comemorar a quadra festiva em ambiente de paz, tranquilidade e felicidade.
O lançamento da Brigada Motorizada, feito recentemente, vai também permitir um melhor patrulhamento das zonas periféricas e locais de delinquência, referiu o comandante e delegado provincial do Interior.

Tempo

Multimédia