Províncias

Ensino superior já é uma realidade no Tômbwa

João Upale| Namibe

O processo de instalação de um núcleo do ensino superior adstrito à Universidade Mandume Ya Ndemufayo, no município do Tômbwa, província do Namibe, já está em curso, garantiu na segunda-feira o governador provincial, Rui Falcão.

Estudantes do município do Tômbwa e arredores passam a ter mais opções na altura da escolha de cursos de nível superior
Fotografia: Mavitidi Mulaza|Namibe

Ao falar num encontro com professores universitários da província, esclareceu que o processo de alargamento do ensino superior já chegou ao município do Tômbwa com início dos trabalhos de instalação, resultante das negociações entre o Governo Provincial e o Ministério do Ensino Superior.
Neste momento, estão a decorrer de forma satisfatória a fase de construção das infra-estruturas para acolher o primeiro núcleo do ensino superior. Além disso, a criação da Academia de Pescas também já está  numa fase bastante avançada e a previsão é que as aulas arranquem no próximo ano lectivo.
Rui Falcão esclareceu que o investimento feito pelas autoridades permitiu equipar a instituição com tecnologia de ponta e com os melhores equipamentos que se conhecem a nível das universidades de todo o mundo. Por essa razão, considera que outras unidades técnicas de ensino superior ali possam também desenvolver algumas actividades. “O trabalho que o Governo Provincial está a fazer serve para que o ensino de alto nível cresça de forma uniforme”, salientou.
A Academia de Pescas e de Ciências do Mar do Namibe é uma instituição do ensino superior que tem como objectivo principal a formação de especialistas e técnicos superiores nas duas referidas áreas. A instituição é constituída pelas faculdades de Pescas, de Processamento de Pescado e a de Exploração de Recursos Aquáticos.
O objectivo é o de, a médio e longo prazo, estes serviços poderem igualmente acolher estudantes dos países das Comunidades para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) e Económica da África Central (CEAC).

Em busca de soluções

As principais inquietações levantadas pelos professores universitários das três unidades superiores existentes na província - Escola Superior Politécnica, Escola Superior Pedagógica e Instituto Superior Politécnico Gregório Semedo (a única privada) - prendem-se com a questão de alojamento dos docentes estrangeiros e com a remuneração dos colaboradores.
Os professores esperam que estas e outras questões levantadas no encontro com o governador do Namibe sejam solucionadas o mais depressa possível, por serem problemas que afectam o rendimento dos docentes e prejudicam os estudantes.
O reitor em exercício da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, Abraão Mulangui, referiu que o Governo do Namibe prometeu substituir a estrutura da Escola Superior Pedagógica, actualmente com 18 salas, por uma outra de 24 salas.
A concretização desta promessa, acrescentou, vai permitir uma maior oferta de vagas para estudantes e de acomodação dos funcionários não docentes da instituição. Quanto à Escola Superior Politécnica, o reitor em exercício disse que ela necessita de laboratórios de mecânica e de electricidade. Além disso, a aquisição de reagentes químicos tem sido muito difícil, devido às políticas para a sua obtenção e de desalfandegamento, o que desencoraja os investidores nesta área.
Em função disso, Abraão Mulangui disse esperar que as autoridades criem novas políticas, principalmente as que isentam de algumas taxas os comerciantes destes produtos. O académico reiterou a necessidade de se elaborar o projecto de construção do campus universitário do Namibe, cujo estudo de viabilidade tinha sido prometido para este ano, que está prestes a terminar. “Apelamos para que este projecto seja revisto.”
O reitor referiu ainda serem necessários mais apoios, com destaque para a aquisição de viaturas, uma vez que os meios disponíveis são insuficientes.
No que diz respeito aos aspectos sociais, Abraão Mulangui reconhece as dificuldades existentes para aquisição de habitações para instalar dos docentes estrangeiros, numa altura que a instituição arrendou 20 casas na cidade, o que exige elevados gastos para a instituição.

Novos cursos

Abraão Mulangui informou ainda que, no âmbito do desmembramento da sexta região académica e consequente criação da oitava, estão previstos novos cursos para a província do Namibe. 
A região vai dispor de uma Faculdade de Ciências Sociais e outra de Engenharia, além de um Instituto Superior de Ciências da Saúde. Para tal, vai ser necessário construir novas estruturas físicas.

Tempo

Multimédia