Províncias

Funcionários públicos avaliam o desempenho

Manuel de Sousa | Namibe

Mais de 50 funcionários públicos ligados à gestão de recursos humanos, em representação das províncias do Cunene, Huíla e Namibe, participam, desde ontem, na cidade do Namibe, em mais uma acção formativa promovida pelo Instituto de Formação Administrativa (IFAL).

Mais de 50 funcionários públicos ligados à gestão de recursos humanos, em representação das províncias do Cunene, Huíla e Namibe, participam, desde ontem, na cidade do Namibe, em mais uma acção formativa promovida pelo Instituto de Formação Administrativa (IFAL).
A decorrer sob o lema “Avaliação do desempenho do funcionário público”, o encontro visa transmitir informações sobre a metodologia, objectivos, vantagens e desvantagens de uma avaliação directa, mediata e imediata.
A formação, que termina amanha, visa igualmente exercitar os formandos em metodologias que entram no processo de avaliação do desempenho dos funcionários públicos, referiu o formador Januário Bernardo.
O formador considerou as informações muito interessantes e úteis para a função de recursos humanos, uma vez que os funcionários públicos devem ser avaliados antes de serem promovidos e premiados.
A vice-governadora do Namibe para a área social, Maria dos Anjos Mahove, garantiu que a acção formativa significa um espaço privilegiado para adicionar conhecimentos, fortalecimento do desempenho e desenvolvimento de competências dos funcionários das três províncias.“A administração pública no desempenho das suas funções sociais deve, através dos seus trabalhadores, pautar a sua conduta por princípios, valores e regras alicerçados na justiça, transparência e ética profissional, como passos para o estabelecimento da necessária relação de confiança entre os serviços públicos e o cidadão”, disse.
A governante realçou que o governo pretende da província, com estes cursos de monitorização de desempenho dos funcionários, alcançar o bom exercício dos efectivos de serviço com a eficiência e a eficácia necessárias.
Dos Anjos Mahove pediu aos formandos para interiorizarem todos os conhecimentos ali adquiridos e os transmitirem aos demais colegas, tanto a nível da chefia, como da execução, e assegurarem permanentemente a auto formação e aperfeiçoamento da actualização de noções técnicas e científicos das leis, regulamentos e instruções em vigor.
Esta é a quarta formação regional promovida pelo IFAL em dois anos, depois de já terem sido ministradas outras sobre a avaliação de desastres, técnicas administrativas, chefia e liderança.

Tempo

Multimédia