Províncias

Fundo de Gestão estabiliza vida da população

João Upale, no Camucuio

A estabilidade de uma nação passa, necessariamente, pela criação de condições básicas para a sua população, que visem melhorar o seu modo de vida, afirmou a administradora municipal do Camucuio, na província do Namibe, a propósito da recente inauguração de infra-estruturas sociais.

Administradora municipal Laura Martins
Fotografia: Afonso Costa

A estabilidade de uma nação passa, necessariamente, pela criação de condições básicas para a sua população, que visem melhorar o seu modo de vida, afirmou a administradora municipal do Camucuio, na província do Namibe, a propósito da recente inauguração de infra-estruturas sociais.
Projectados no âmbito dos programas de Fundo de Gestão Municipal e do desenvolvimento rural e combate à pobreza, com os novos equipamentos cumpre-se o objectivo de estabilizar a vida das populações, garantindo o seu bem-estar e o combate à pobreza no meio rural, sublinhou Laura Martins.
Salientando os esforços empreendidos pelo governo provincial, na pessoa da governadora Cândida Celeste, na salvaguarda do bem-estar das populações do Namibe, e em particular do município do Camucuio, saudou a iniciativa e encorajou a governante a prosseguir na mesma senda.
“Estamos satisfeitos, porque vimos inaugurados vários empreendimentos de impacto social em prol do bem-estar das nossas populações,” salientou, recordando que o Executivo angolano tem criado e desenvolvido estratégias impulsionadoras da melhoria de vida das populações.
Enquadrando o Fundo de Gestão Municipal, recordou que este foi criado há dois anos pelo Governo central, para ser executado a nível dos municípios, e afirmou que ele trouxe um valor acrescentado, por permitir a construção de infra-estruturas sociais, económicas e outras.  Laura Martins salientou, ainda, que alguns dos projectos inaugurados são transitados e com orçamentos pertencentes ao fundo de gestão de 2010, como a construção de uma residência para a administradora municipal, a morgue municipal, quatro residências do tipo T2 para quadros na comuna do Chingo, três mangas de vacinação de gado nas localidades do Chingo, Mamue e povoação das Cacimbas, e a reabilitação do palácio comunal do Chingo.   
“Relativamente ao programa municipal integrado, desenvolvimento rural e combate à pobreza, temos a realçar a inauguração do centro infantil e de educação comunitária (CIC-CEC), na comuna do Chingo, e a reinauguração da casa do médico”, disse.   
Vários projectos encontram-se ainda em execução, prevendo-se a sua conclusão nos próximos meses, como é o caso do CIC-CEC na povoação das Cacimbas, do parque infantil municipal, do posto de saúde e residência de enfermeiros na comuna do Chingo, a reabilitação do troço de quatro quilómetros de estrada da sede municipal na Avenida principal, a colocação de lancis e o jardim na Avenida principal.
No âmbito dos serviços municipais de saúde, realçou a reabilitação e ampliação do posto de saúde e construção de uma residência do tipo T2 para enfermeiros na localidade de Tchikambi, comuna do Mamue, a reabilitação e ampliação do posto de saúde da povoação do Munhandi, sede do município, e a disponibilidade de kits de medicamentos, equipamentos e outros meios para o hospital, como uma ambulância equipada com meios de primeiros socorros e uma viatura todo-o-terreno destinada a consultas em ambulatório.    
Devido à distância de alguns postos de saúde, nomeadamente da localidade do Tchikambi, a 45 quilómetros da sede comunal do Mamue, da povoação do Munhandi e das localidades do Muwakuwa e do Kaluvumbu, foram adquiridas quatro motorizadas para os chefes de posto e enfermeiros, que labutam nessas áreas, quando confrontados com pacientes em estado grave e a necessitar de evacuação, facilitando a deslocação até onde haja sinal de comunicação para solicitar a ida de uma ambulância.   
Laura Martins explicou que a aquisição de uma ambulância equipada com meios de primeiros socorros foi motivada pelo facto de o hospital municipal possuir apenas uma, que por vezes suporta, numa só viagem, a evacuação de dois a três pacientes para a sede da província.  Sobre a aquisição da viatura todo-o-terreno, salientou que esta vai dar sequência ao amplo projecto do governo provincial de consultas em ambulatório, permitindo a deslocação das equipas de técnicos de saúde às localidades mais recônditas do município, onde não existem unidades sanitárias.    
“Temos de trabalhar cada vez mais para que o nosso país tenha o rumo desejado de desenvolvimento. Todos os angolanos são chamados a participar, em particular a população do município do Camucuio, e juntos teremos uma Angola sem comparação,”perspectivou.
No domínio das telecomunicações, o município debatia-se com a falta de comunicação pública nas comunas do Chingo e Mamue e na povoação das Cacimbas, mas hoje já é possível à população dessas localidades comunicarem, por ter sido instalado o sistema “Liga-Liga”da Angola Telecom.

Tempo

Multimédia