Províncias

Governador pede responsabilidade aos professores

Afonso Costa| Namibe

O governador provincial do Namibe, Rui Falcão, manteve sexta-feira um encontro com mais de três mil professores, para se inteirar dos principais problemas que os técnicos do sector da Educação enfrentam.

População do município do Tômbwa vai passar a ter mais opções de escolha quando decidir dar sequência aos estudos
Fotografia: Dombele Bernardo

Os professores apresentaram como principais dificuldades a falta de casas próprias, a actualização e aumento de salários, promoção de categoria e de policiamento nos recintos escolares.
A inexistência de energia eléctrica e água potável em várias instituições escolares, assim como o fraco saneamento básico nas imediações das escolas são outras questões que preocupam os professores.
O governador disse que muitos passos para acabar com as dificuldades têm sido dados em prol dos alunos, dos professores e do processo de ensino e aprendizagem na província do Namibe e do país.
O país em 2002 tinha dois milhões de crianças no sistema do ensino, estando actualmente com sete milhões. Rui Falcão admitiu que ainda existe muito trabalho por ser feito no sector da Educação, mas adiantou que “é preciso que todos ajudem a melhorar cada vez mais o funcionamento do ensino”. O governador pediu ainda maior espírito de responsabilidade dos professores, salientando que é necessário que os docentes apostem no ensino de qualidade, para o bem da sociedade.
O Governo Provincial solicitou ao Executivo cerca de 450 casas para professores. Deste número, apenas 15 por cento são disponibilizadas. Os candidatos vão fazer prova de capacidade. “Aqueles que melhores condições têm são os principais beneficiários”, revelou.

Ensino superior no Tômbwa

O governador assegurou que, no próximo ano, um núcleo de ensino superior é implementado no município do Tômbwa.Esforços estão a ser envidados junto do Ministério do Ensino Superior para que se encontre mecanismos que viabilizem a materialização deste projecto. Quanto à situação de insegurança nas escolas, por causa da delinquência, disse que é uma questão geral, que não afecta só as escolas. É um problema que depende, em parte, da resolução dos problemas sociais das comunidades. O Comando Provincial da Polícia Nacional vai reforçar, nos próximos dias, com mais de 600 homens, o seu programa de segurança nas instituições escolares.
Rui Falcão augura a implantação o mais rápido possível de mais uma unidade de protecção escolar. Para isso, são necessários mais recursos.

Responsabilidade do docente
 
O director provincial da Educação, Pacheco Francisco, disse que muitos candidatos fazem concurso público somente para resolver o problema de salário.
Muitos esquecem a verdadeira missão do professor, daí advertir aos técnicos do sector para aumentarem a sua responsabilidade diante do aluno.
Pacheco Francisco avançou ainda que as actualizações no exercício da profissão dependem do próprio desempenho de cada docente e, por isso, os professores não se devem preocupar apenas com o perfil académico.
 “Temos que exigir os nossos direitos, mas devemos olhar em primeiro lugar para os nossos deveres. Todos nós precisamos de melhorar os nossos salários, mas é bom que haja mais responsabilidade”, rematou o director provincial da Educação.

Tempo

Multimédia