Províncias

Governadora garante apoio aos pais de trigémeas

João Upale

Os pais das trigémeas nascidas recentemente na nova maternidade do Namibe receberam do Governo Provincial uma casa mobilada e com gerador eléctrico para que a família se sinta segura e as crianças possam crescer com condições mínimas de conforto

O acompanhamento médico às trigémeas está garantido
Fotografia: Afonso Costa

Os pais das trigémeas nascidas recentemente na nova maternidade do Namibe receberam do Governo Provincial uma casa mobilada e com gerador eléctrico para que a família se sinta segura e as crianças possam crescer com condições mínimas de conforto.
Dada a incapacidade financeira e económica dos pais das trigémeas, o Governo Provincial assumiu as despesas do arrendamento da casa, que tem três quartos, sala comum, cozinha e quarto de banho. A família que subitamente ficou com mais três filhas, vai viver durante um ano na casa arrendada, até que seja concluída a construção da nova casa que depois vai ser distribuída ao casal.
As bebés nasceram no dia 19 de Setembro, no momento em que era inaugurado o Hospital Materno Infantill “ Liepiey,” que nas línguas nacionais mucubal e nyaneka significa “ nascer” e “ parabéns à parturiente.”

Acompanhamento dos especialistas

A neonatologista Maria Cristina lembrou que durante o parto das trigémeas “não houve problemas e que tudo correu bem, as bebés estão todas bem de saúde”. A médica revelou que os pesos de nascimento foram de 1,740 gramas para a primeira, 1,500 e 1,250 para a segunda e a terceira, e que neste momento pesam 1,550, 1,500 e 1,200.
A médica assegurou que a mãe está bem de saúde, tem ainda leite suficiente para amamentá-las durante os dois primeiros meses, sem recorrer a outros produtos pasteurizados, desde que tenha uma dieta bem regulada.
   O director provincial da Saúde em exercício, Gaspar Cardoso, garantiu à imprensa que o acompanhamento médico às trigémeas e à mãe está salvaguardado e semanalmente é controlado o peso das bebés e verificado o seu estado de saúde: “qualquer situação que ocorrer nós estamos em prontidão e podemos transferir as crianças para o Hospital Materno Infantil, a área de pediatria, para a devida observação directa e, se necessário, para tratamento”.
   Os cuidados a ter para com as bebés são simples e desde o nascimento que lhes são dispensados pelos técnicos: na higiene pessoal, alimentação própria por amamentação, que deve ser feita seguindo as indicações médicas e o controlo de peso das recém nascidas, já que a balança foi entregue aos pais.

Satisfação dos pais
 
 Vitória Nachindengue, de 32 anos, é agora mãe de sete filhos. Está feliz com o nascimento das trigémeas Mas também com o carinho e apoio prestado principalmente pela governadora Cândida Celeste da Silva. Para responder ao apoio dado, Vitória baptizou uma das gémeas de Cândida. É uma forma de retribuir o carinho que é dado a uma mãe pobre.
“Não tenho mais palavras para agradecer toda a assistência e ajuda prestada na pessoa da governadora Cândida Celeste, que desde o primeiro dia me emprestou o seu calor com apoio material e moral. Que Deus ajude a nossa governadora da província e os demais possam seguir o seu exemplo”, afirmou Vitória Nachindengue.
O pai das trigémeas passa agora a ter 15 filhos, oito gerados com a primeira mulher. Xietu Nangolo Canivete, de 42 anos, é oriundo do Lubango. “Estou alegre com o apoio do Governo Provincial que me permite cuidar de toda a família, com ajuda de pessoas caridosas. O que aconteceu connosco foi a vontade de Deus, estou muito feliz por ter as minhas três bebés”, disse.

Um emprego para Canivete

Xietu Nangolo Canivete é desempregado e Vitória é doméstica. Foi desmobilizado das FAPLA, com os Acordos de Bicesse. Agradece todas as ajudas em bens alimentares, roupas e dinheiro para sustentar os filhos. Mas o que ele quer acima de tudo, é trabalhar: “os apoios que estamos a receber são importantes para a sobrevivência da família, mas o que eu peço às pessoas de boa vontade é que me arranjem trabalho. Preciso de um emprego para sustentar a minha família e cuidar das trigémeas”.
O pai das bebés está inscrito na Associação dos Ex-combatentes das Forças Armadas Populares de Libertação de Angola, que o tem apoiado, porque com a numerosa família e o desemprego, há momentos que fica em situações aflitivas e sem nada que dar aos filhos.
Xietu Canivete trabalha um campo agrícola na periferia da cidade do Namibe. Para aumentar a produção rega as plantações com uma motobomba emprestada pela associação dos antigos combatentes. Mas precisa de instrumentos agrícolas e sementes para aumentar a produção da horta. É deste pedaço de terra que saem os proventos com que dá de comer aos filhos. Vitória Nachindengue ajuda no que pode, mas com tantos filhos, pouco pode. E agora que tem de cuidar das trigémeas, Canivete está sozinho no cultivo da horta.
 
Registos em casa
  
Os Serviços da Conservatória do Registo Civil com o testemunho da governadora da província, Cândida Celeste da Silva, registaram, na sua nova casa situada no bairro dos Eucaliptos, as três bebés às quais foram dados os nomes de Cândida Justina, Graça Justina e Kofi Juliana, todas com o sobrenome de Canivete.
A governadora do Namibe é a madrinha do registo das três bebés. No final da cerimónia do registo, Cândida Celeste, os pais e todos os presentes brindaram à saúde e felicidade das meninas e fizeram votos de que “elas cresçam como o esperado”.
Cândida Celeste frisou que o nascimento das trigémeas, que coincidiu com a inauguração do Hospital Materno Infantil, foi ao mesmo tempo uma “felicidade e uma preocupação” e explicou porquê: “ficámos felizes pelo nascimento destas crianças no dia em que dotámos a província de uma maternidade moderna onde todas as mães vão ter assistência adequada. Mas estas meninas fazem parte de uma família desprovida de meios, que vive numa pobreza extrema, o que nos obrigou a criar as mínimas condições. No futuro temos de cuidar destas trigémeas, essa é a nossa grande preocupação”.

Apoio das instituições
  
A governadora do Namibe assegurou à nossa reportagem que a casa arrendada pelo Governo Provincial para o casal apresenta condições mínimas, está bem mobilada, as bebés têm berços, xailes, roupa de cama, vestuário. “Vamos apoiar esta família, durante um ano, com alimentação, assistência médica e de higiene às trigémeas”, afirmou Cândida Celeste.
A governadora da província do Namibe revelou ainda que as direcções da Família e Promoção da Mulher, da Assistência e Reinserção Social e outros organismos do Estado vão “à distância” acompanhar o evoluir das trigémeas.
“Vamos dando a nossa contribuição para que a sociedade reconheça a importância das pessoas perante o Estado” sublinhou Cândida Celeste.

Tempo

Multimédia