Províncias

Governo investe na formação dos jovens

João Upale | Namibe

O governador provincial do Namibe, Rui Falcão, reafirmou quinta-feira a continuidade das autoridades locais em investir na formação da juventude, por constituir o motor do desenvolvimento do país.

Vista parcial da cidade do Namibe onde estão a ser traçadas novas estratégias para melhorar o processo de ensino e aprendizagem
Fotografia: Francisco Bernardo

Para isso, defendeu a melhoria da qualidade do ensino, tendo em conta que a formação está directamente ligada à competência dos professores.
Rui Falcão discursava na cerimónia de abertura das oitavas jornadas técnico-científicas da direcção provincial da Educação, em que participam representantes de todos os institutos médios técnicos, incluindo estudantes, que durante cinco dias abordam temáticas académicas.
O governador provincial salientou que as jornadas constituem uma motivação para professores e alunos empenharem-se na investigação de elementos científicos que promovam o saber, com vista à melhoria da qualidade do ensino.
Rui Falcão pediu aos professores maior engajamento na formação e superação, pois eles são responsáveis pela educação dos futuros quadros.
O governador provincial defendeu ainda que as potencialidades do mosaico cultural do Namibe devem ser exploradas, pela sua riqueza. Para isso, disse ser necessário integrar essas especificidades nos hábitos e costumes locais. Rui Falcão disse ter a certeza que muitos participantes das jornadas têm criatividade suficiente para se tornarem empreendedores.
Como prova disso, apontou o resultado alcançado por um aluno do Namibe, no ano passado, num concurso na Alemanha.
O governante provincial espera que o exemplo inspire outros jovens, tendo em vista que a educação do futuro depende dos caminhos adoptados no presente. Rui Falcão apela aos estudantes a apostarem na investigação, para aumentarem a sua qualificação. Esta situação, salienta o governador, permitir substituir a mão-de-obra estrangeira.

Cuidar das escolas

Rui Falcão disse que “a riqueza social advém da forma como usamos aquilo que é posto à nossa disposição”. O governador provincial  defendeu a conservação das escolas, parques infantis e instalações desportivas. Por isso, a escola não pode ser entendida como um mero espaço de transmissão de conhecimentos, mas deve ser um lugar de formação intelectual e de civismo.
“A escola é por excelência o lugar de produção intelectual e a mesma envolve a produção científica, que pressupõe a investigação, a sistematização e a produção de novos conhecimentos”, disse o governador provincial do Namibe.

Tempo

Multimédia