Províncias

Governo reforça acções de protecção à criança

Manuel de Sousa| Moçamedes

O reforço da protecção à criança contra práticas que possam fomentar a discriminação racial, religiosa ou de qualquer outra índole é uma das principais apostas da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher do Namibe, disse ontem, ao Jornal de Angola, a sua responsável.

Governos das províncias do Namibe e do Huambo reforçam programas para que as crianças possam crescer em ambiente saudável
Fotografia: Santos Pedro| Edições Novembro

A directora do sector, Maria Gonçalves, defendeu que a criança deve ser educada dentro de um espírito de compreensão, tolerância, amizade, paz, fraternidade universal e com plena consciência de consagrar as suas energias e aptidões ao serviço dos seus semelhantes.
Maria Gonçalves defendeu também que se reflicta mais sobre os direitos da criança, para o contínuo engajamento na sua protecção, com realce para o combate à violência e às práticas nocivas ao seu desenvolvimento.
A directora provincial do Namibe da Família e Promoção da Mulher avançou que a criança é sujeito de direitos, daí que deve beneficiar da protecção especial da família, da sociedade e do Estado, com os quais, em estreita relação, se assegura a sua ampla protecção contra as formas de violência.
Durante este mês, o país realizou uma jornada da criança, tendo a província do Namibe  realizado um conselho local da criança, que reuniu mais de uma centena de menores, em que se aconselhou os pequenos a dedicarem-se mais aos estudos, para se tornarem verdadeiros homens do futuro.
No evento, as crianças foram ainda aconselhadas a denunciar as tentativas de todo o tipo de violência, a ter cuidado com o uso das redes sociais, principalmente do Facebook, e a evitar todas as acções negativas que podem comprometer o seu próprio futuro e o do país.
Durante a jornada, foram realizadas actividades recreativas, com destaque para a dança, música, concurso de literatura e uma feira do livro, entre outras acções.

Palestras no Huambo

As famílias angolanas foram solicitadas ontem, na comuna da Calenga, município da Caála, província do Huambo, a envolverem-se mais nas acções que visam proteger as crianças de quaisquer actos de violação de seus direitos.
O apelo foi feito pela administradora adjunta da comuna, Felismina Marcelino, quando falava numa palestra sobre os direitos da criança, realizada na escola do I ciclo do Mandele,  no quadro do mês dedicado à criança.
Felismina Marcelino considera que o bem-estar dos menores deve ser responsabilidade primária das famílias, que devem, também, combater a exploração das crianças e outros actos que comprometam o crescimento físico e psicológico delas. Apelou também aos encarregados de educação para participarem directamente na formação académica das crianças, bem como cultivarem um clima saudável, para o seu desenvolvimento.
Ensinar, desde cedo, os valores patrióticos, respeito pelos símbolos nacionais, protecção do património público, proibição da poluição e boas práticas sociais são, de acordo com a administradora, outras acções fundamentais para moldar as crianças nas comunidades. Informou que o Governo, no âmbito da implementação dos 11 compromissos assumidos a favor das crianças, tem cumprido a sua parte.  O evento terminou com um almoço, em que participaram 400 crianças.

Tempo

Multimédia