Províncias

Homens de negócios estão com o Exectutivo

João Upale e Manuel de Sousa |

O crescimento económico no Namibe leva a que os empresários da província depositem total confiança no programa de apoio aos negócios, dada a medida do Executivo em conceder crédito bancário para dinamização e sustentabilidade das suas pequenas e médias empresas, afirmou o presidente da Associação Comercial, Agropecuária, Industrial, Turismo e Hotelaria do Namibe, Jacinto Muxixeny.

Crédito bancário dinamiza pequenas e médias empresas
Fotografia: Afonso Costa

O crescimento económico no Namibe leva a que os empresários da província depositem total confiança no programa de apoio aos negócios, dada a medida do Executivo em conceder crédito bancário para dinamização e sustentabilidade das suas pequenas e médias empresas, afirmou o presidente da Associação Comercial, Agropecuária, Industrial, Turismo e Hotelaria do Namibe, Jacinto Muxixeny.
 O empresário fez estas declarações ao Jornal de Angola no final de um encontro com empresários destinado à divulgação do programa nacional de apoio ao pequeno negócio e de desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas, promovido pelo Ministério da Economia.
Para ele, a economia precisa sempre de dinheiro para poder prosperar. “Se o Executivo está a dar, agora é a nossa vez de corresponder. O nosso país é um dos poucos que está preocupado em evitar que o angolano nasça num país rico e seja pobre. É um exemplo para África” afirmou.
Jacinto Muxixeny acrescentou que a classe empresarial do Namibe está muito satisfeita, porque tem confiança de que muitos mais projectos serão concretizados a qualquer momento. De acordo com o responsável, isso faz com que os empresários depositem plena confiança no Executivo, pela visão que tem sobre os grandes problemas que impedem o desenvolvimento do país e da província em particular. 

Certificação das empresas


Os empresários na província do Namibe estão com dificuldades em cumprir com a sua regularização fiscal, o que dificulta a organização dos seus processos junto do INAPEM (Instituto Nacional de Apoio as Pequenas e Medias Empresas). De acordo com o seu representante no Namibe, João Leite Calolo, o INAPEM está nesse momento a certificar as empresas para poder classificá-las nas categorias de micro, pequenas e médias empresas.
O processo teve início no dia 30 de Abril, com o anúncio através dos órgãos de comunicação social e das reuniões mantidas com os presidentes das associações.
“Tivemos encontros com os presidentes das associações empresariais sedeadas na província onde passamos a informação, e também pedimos uma certa rapidez e dinamismo na entrega da documentação necessária para o processo de certificação das mesmas”.
Existem neste momento registadas 133 micro empresas, 14 pequenas e uma na categoria de média empresa. O representante aconselha os empresários a registarem as suas empresas para beneficiarem dos programas que o Estado pôs à sua disposição, como são o acesso ao crédito, os apoios ligados ao fisco, os incentivos fiscais, a isenção de imposto de consumo sobre a matéria-prima, imposto de selo para micro empresa, redução da taxa do imposto industrial que vêem dar certificação às empresas.
“Ninguém pode exigir o apoio do Estado se não participa na recolha de receitas, daí a necessidade de os empresários que queiram candidatar-se aos créditos e outras vantagens cumpram primeiro com os pressupostos exigidos por lei”.

Tempo

Multimédia