Províncias

Ligações clandestinas com os dias contados

João Upale | Namibe

O governador provincial do Namibe, Carlos da Rocha Cruz, exortou, no domingo, em Moçâmedes, os cidadãos a denunciarem os que praticam ligações clandestinas na rede de distribuição eléctrica eléctrica.

Panorâmica da cidade de Moçâmedes capital do Namibe
Fotografia: Afonso Costa | Edições Novembro

Ao falar durante um encontro com fiéis da Igreja de Nosso Senhor Jesus no Mundo (Tocoístas), o governante apelou aos citadinos a ajudarem o Estado no combate à prática de ligações clandestinas, no sentido de que todos possam pagar o que consomem.
“Os cidadãos têm o dever de pagar a energia que gastam e não adoptar a política das  ‘puxadas’, como verificamos nalguns bairros”, disse o governador, para quem a “prática não só prejudica os outros que pagam como também superlota os grupos geradores”.
Carlos da Rocha Cruz pediu  aos fiéis tocoístas para orarem pela paz e promoção da unidade e reconciliação nacionais, combatendo, para isso, o revanchismo que eventualmente possa provocar certa vingança. Com o encontro, o governante cumpria o programa “O governador e as comunidades”, tendo aproveitado para pedir aos cristãos para exercerem o seu papel de moralizadores da sociedade, a partir de bons comportamentos, principalmente nesta época em que se aproximam as eleições gerais marcadas para 23 de Agosto.
Carlos da Rocha Cruz salientou que, diante do processo eleitoral, há necessidade de se sensibilizar cada vez mais os adeptos e adversários de que, no fim, quem ganha com as eleições é o povo. “O que perder tem de abraçar o que ganhou e vice-versa, para se evitarem situações negativas, como as do passado, e primarmos pela preservação da paz, da harmonia e da unidade nacional”. Carlos da Rocha Cruz pediu à igreja um papel mais activo na consciencialização dos agregados familiares, principalmente quanto ao comportamento social que se deve apresentar nesta fase.

Tempo

Multimédia