Províncias

Lucira regista aumento de partos

João Upale |Lucira

O número de partos efectuados pelos serviços controlados pelas autoridades sanitárias na comuna da Lucira aumentou consideravelmente devido à melhoria dos serviços de maternidade, disse o administrador da unidade sanitária.

O número de partos efectuados pelos serviços controlados pelas autoridades sanitárias na comuna da Lucira aumentou consideravelmente devido à melhoria dos serviços de maternidade, disse o administrador da unidade sanitária.
Avindo Caluvita afirmou que as melhorias registadas permitem o controlo eficaz dos recém-nascidos e que depois do hospital ter sido apetrechado com meios técnicos e modernos houve um aumento substancial do número de gestantes que procura os serviços de saúde em detrimento dos partos caseiros que, muitas vezes, resultam em nados mortos.
Graças ao empenho do governo da província, que tem sabido responder às mais prementes necessidades da população, referiu, são realizados entre 30 a 40 partos mensais contra os 11 que se faziam antes de haver maternidade.
A situação sanitária na Lucira, afiançou, é estável e são os casos de malária que dominam o quadro epidemiológico.  A par do paludismo, as doenças respiratórias agudas causadas pelo frio, as diarreias e as doenças transmissíveis sexualmente, como a sífilis e as gonorreias, são também enfermidades frequentes.
Avindo Caluvita frisou que as acções realizadas pela administração municipal permitiram, há sete anos, estancar a cólera na sede da comuna.
Quanto à aquisição de medicamentos, referiu que a direcção da Saúde, através do departamento de depósito de medicamentos, traçou uma política de abastecimento mensal de reforço das reservas, principalmente no interior da província e louvou o auxílio que tem sido dado pelas farmácias privadas na sede da comuna.
Desde 2009, declarou, o serviço de testagem voluntária tem o registo de 21 casos de seropositivos, o que é preocupante por o número de habitantes ser pequeno.
Os serviços de saúde na comuna da Lucira são extensivos a Carojamba e Inamangando, com um posto sanitário e um enfermeiro em cada uma das localidades.
Nas povoações mais recônditas, sem postos de saúde, são realizadas consultas ambulatórias, com recurso à única ambulância que há na comuna da Lucira.
Quando se verificam casos complicados, disse Avindo Caluvita, os enfermeiros comunicam à sede da comuna que, de imediato, envia a viatura.

Reforço do apoio técnico

Avindo Calivita, que salientou a importância de um maior alargamento e melhoria das condições sociais, de trabalho e dos serviços administrativos, referiu que o governo provincial do Namibe tem resolvido paulatinamente os problemas, como sucedeu recentemente com a entrega ao hospital de uma carinha para apoio técnico e administrativo. 
O hospital, segundo Avindo Calivita, precisa de mais médicos, de cinco técnicos médios para as áreas de especialidade, como a ginecologia e obstetrícia, e de dois enfermeiros gerais.

Tempo

Multimédia