Províncias

Mais oportunidade de emprego

JOÃO UPALE | Tômbwa

Mais de 12 mil famílias da vila piscatória do Tômbwa, cerca de 93 quilómetros a sul da cidade de Moçâmedes,  beneficiam de postos de trabalho directos nas empresas ali instaladas, no âmbito dos investimentos públicos realizados pelo Executivo.

Jovens beneficiam de postos de trabalho directos em empresas instaladas na província no âmbito dos investimentos públicos realizados pelo Executivo
Fotografia: JAImagens.com

O administrador municipal do Tômbwa, João Ernesto dos Santos, que falava no termo de uma visita do governador provincial do Namibe, Rui Falcão, avançou ontem ao Jornal de Angola que os  trabalhadores foram empregues, principalmente, no sector pesqueiro.
João Ernesto dos Santos enumerou as obras de construção do Porto Pesqueiro, o Centro de Apoio à Pesca Artesanal, as fábricas de conservas, de processamento do pescado, de farinha e óleo de peixe, como os grandes projectos em execução na região, que proporcionam mais de dois mil postos de trabalhos directos.
No quadro do programa do Executivo, através do Ministério das Pescas, o município começa a dar grandes avanços para atingir o progresso, disse João Ernesto dos Santos. Para materializar esta pretensão, o administrador municipal anunciou que, este mês, são inauguradas as fábricas de congelação de peixe, de conservação e outras infra-estruturas socioeconómicas.
O administrador municipal elogiou a postura das instituições públicas, privadas e estrangeiras envolvidas nos esforços para alavancar a economia e o progresso da região.

Mais água e energia

O governador provincial Rui Falcão garantiu que a municipalidade vai merecer atenção redobrada das autoridades provinciais, assegurando a conclusão dos projectos em curso.
Um dos sectores que o governador referiu que vai registar um crescimento considerável, nos próximos dias, é o da distribuição e da água potável, que deve ser estendido a toda a periferia da vila de Tômbwa. O governador provincial informou  que há já contactos com o Ministério da Energia e Água, para a necessidade de se instalar a nível do Tômbwa uma unidade de tratamento de água potável e outra de águas residuais.
 Quanto ao fornecimento de energia eléctrica, Rui Falcão avançou que a necessidade da região é de cerca de 14.2 mega watts, numa altura em que a municipalidade dispõe apenas de metade desta capacidade.
No quadro do projecto de desenvolvimento deste ano para a província, o governador assegura que, até 2021, o município do Tômbwa vai atingir os 21 mega watts.

Perspectivas no ensino


No que toca à implantação do ensino superior no Tômbwa, Rui Falcão justificou que o grande embaraço tem a ver com os fluxos académicos, explicando que a abertura de uma instituição de nível superior depende da sequência dos estudantes do primeiro ao segundo ano.
O governador disse ser preciso haver uma garantia para os anos subsequentes, olhando para a densidade demográfica, que garantam o funcionamento da instituição. “Eu não posso abrir agora o primeiro ano de uma instituição do ensino superior, e passando estes para o segundo ano, já não tem quem substitua o primeiro ano,” retorquiu.

Tempo

Multimédia