Províncias

Mau estado das estradas atrasa desenvolvimento

João Upale | Virei

O mau estado das estradas, que ligam as várias povoações à sede municipal do Virei, tem causado danos materiais incalculáveis aos meios de transporte que ali circulam e impedem o desenvolvimento da região, lamentou a administradora local.

Panorâmica da sede do Virei onde a população tem dificuldades de acesso às comunas
Fotografia: Jornal de Angola

Juliana Fonseca manifestou este descontentamento à margem da visita efectuada àquela localidade pelo ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, com o objectivo de constatar as principais inquietações da população.
A administradora municipal defende a asfaltagem urgente da estrada principal, num percurso de 130 quilómetros, com vista a permitir o acesso de forma mais rápida e cómoda, tornando as transacções comerciais mais fluidas. Juliana Fonseca garantiu  que a administração municipal está a negociar com potenciais fornecedores de bens de primeira necessidade, de forma a instalar armazéns na região. As transacções comerciais no Virei podem ganhar um novo rumo, com a abertura em breve da primeira agência do Banco de Poupança e Crédito (BPC) no município, no próximo ano.
Neste momento, os funcionários públicos são obrigados a deslocar-se à sede da província para receberem o salário.
O soba Bakunhako Mutxinga, da povoação de Cavelocamue, a cerca de 27 quilómetros da sede municipal, apela para a reabilitação das vias de acesso e aquisição de meios de transporte para o escoamento de produtos do campo para a cidade.
A autoridade tradicional reforçou o pediu ao ministro da Administração do Território, no sentido de garantir a distribuição de motobombas, para facilitar a irrigação das lavouras, assim como a abertura de mais furos e água e a atribuição de uma ambulância e medicamentos.

Tempo

Multimédia