Províncias

Ministra avalia no Namibe projectos sobre o ambiente

A ministra do Ambiente, Paula Coelho, está desde ontem no Namibe a avaliar os projectos em curso na região, implementados pelo Fundo Global, PNUD, União Europeia e Governo da província.

Várias acções estão em curso para recuperar as áreas de conservação espalhadas pelo país
Fotografia: DR

Paula Coelho deslocou-se ontem ao Parque Nacional do Yona, 360 quilómetros a leste da província do Namibe, e está a constatar o programa de sensibilização e educação ambiental junto das comunidades, além do impacto das alterações climáticas as orlas costeiras.
O Parque Nacional do Yona tem um tratado assinado com o Parque dos Esqueletos, na Namíbia, razão pela qual necessita de dinamização, segundo a ministra do Ambiente, citada pela Angop.
O local é o habitat de animais como elefantes, zebras, gazelas, rinoceronte pretos e brancos, hiena, macacos, entre outras espécies.
O Ministério do Am-biente assinou este ano um protocolo com o Ministério das Telecomunicações para a implementação de rádios e repetidores para a fiscalização e maior controlo das espécies, como forma de combater a caça furtiva. A ministra visitou já as áreas ambi-entais das províncias do Cuando Cubango e Mo-xico, e posteriormente segue para Malanje.
Recentemente, o governador do Namibe, Carlos da Rocha Cruz, manifestou-se preocupado com o aumento de casos de caça furtiva no Parque Na-cional do Yona, que amea-ça extinguir algumas espécies de animais.
Com uma extensão de 1,5 milhão de hectares, o parque possui apenas 20 fiscais e poucos meios de trabalho, o que tem dificultado o trabalho de pa-trulhamento e fiscalização. “O território é muito grande e necessita de mais 50 fiscais equipados com meios como motorizadas todo-terreno, para um patrulhamento sem so-bressaltos", reconheceu o governador.
Carlos da Rocha Cruz lamentou ainda o facto de os fiscais estarem a passar dificuldades financeiras, estando nesta altura sem os salários há cinco meses, problema que o governante promete solucionar em coordenação com o Ministério do Ambiente.
O Ministério do Ambiente controla 16 áreas de conservação, entre parques, reservas naturais, integrais, parciais e especiais, na sua maioria criadas no período colonial.
A recuperação e construção de infra-estruturas de apoio nos parques nacionais do país constitui uma das apostas do Ministério do Ambiente, com vista à melhoria das condições de trabalho dos fiscais e promoção do ecoturismo nestes locais.

Tempo

Multimédia