Províncias

Modernização do CFM a bom ritmo

André Amaro | Lubango

Os trabalhos de reabilitação e modernização dos Caminhos-de-Ferro de Moçamedes decorrem a um ritmo satisfatório, revelou o director-geral do Instituto Nacional dos Caminhos-de-ferro de Angola, no final de uma visita a alguns pontos das obras.

O projecto de modernização prevê a aquisição de várias locomotivas e vagões sofisticados
Fotografia: Santos Pedro

O director-geral do Instituto Nacional dos Caminhos-de-ferro de Angola considerou, na sexta-feira, satisfatório o ritmo de execução das obras de reabilitação e modernização dos Caminhos-de-Ferro de Moçamedes.
Júlio Bango fez esta avaliação no final da visita a alguns pontos das obras de CFM, na cidade do Lubango, que estão a ser alargados e melhorados.
“Constatamos no terreno o ritmo de andamento dos trabalhos que estiveram paralisados devido à crise financeira mundial”, disse.
O empreiteiro, afirmou, está a fazer esforços para concluir a obra em Dezembro. O troço Mengue/Matala, numa distância de 522 quilómetros, referiu, está concluído e decorrem as obras de instalação da linha nos ramais da Jamba, na distância de 16 quilómetros, e de Chamutete, 95quilómetros. Nos troços Quimoungo/Lubango e Namibe/Lubango, esclareceu, estão em curso trabalhos de remoção da linha na serra da Leba, alargamento e melhoria das pontes subterrâneas, instalação da sinalização, telecomunicações e electricidades.
Em curso, está, também, a construção de 56 estações, três delas especiais, as de Menongue, Lubango e Namibe, já em fase de conclusão, seis de primeiras classe, 11 de segunda e 36 de terceira.
A modernização do CFM contempla, ainda, a substituição de travessas de madeira por betão, que oferecem maior segurança, aquisição de locomotivas, carruagens e vagões sofisticados.
Prevista está também a instalação de sistema de telecomunicações, através da fibra óptica, e a substituição dos carris de 30 quilos por outros de 50, dentro dos padrões ferroviários internacionais.

Tempo

Multimédia