Províncias

Namibe conta com novo diácono

Manuel de Sousa | Namibe

A Diocese do Namibe conta com mais um diácono. Trata-se de Alfredo Matias Castro, que foi ordenado, no último domingo, pelo bispo local, D. Mateus Feliciano.

Fiéis da Igreja Católica durante uma missa
Fotografia: Dombele Bernardo

A Diocese do Namibe conta com mais um diácono. Trata-se de Alfredo Matias Castro, que foi ordenado, no último domingo, pelo bispo local, D. Mateus Feliciano.
O acto de ordenação do diácono decorreu no pátio da Sé Catedral e contou com a presença de entidades governamentais, centenas de fiéis e familiares do futuro padre da Igreja Católica.
Na ocasião, o recém ordenado disse que o acto constituía um motivo de orgulho e de graças por ter significado uma caminhada de muitos sacrifícios e dedicação. “Graças à Deus e a comunidade do Namibe, que sempre me acompanharam, desde os meus primeiros anos vocacionais, que cumpro uma das etapas da missão que o Senhor me reservou”, disse o diácono Alfredo Castro.
O diácono garantiu aos fiéis católicos que vai cumprir com a missão de transmitir o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, santificar o povo de Deus e santificar-se também a si mesmo.
“A salvação é toda ela cósmica, mas que, de facto, passa pela sintonia com os irmãos, daí prometer ajudar-vos e esperar que me ajudeis no meu ministério”, confiou.
O bispo da diocese do Namibe, D. Mateus Feliciano, considerou a ordenação como uma das maiores dádivas de Deus para este ano sacerdotal, tendo acrescentado que “ela deve servir de motivo de festa e de alegria para mim, por ser a primeira ordenação que presido em toda a minha vida”.
Assim, o bispo recomendou o diácono a servir e não esperar ser servido, pois a missão que a Igreja Católica lhe conceder será prestado à humanidade.
O bispo sublinhou que os diáconos são colaboradores dos bispos e dos presbíteros no serviço da palavra do altar e da caridade nas assembleias litúrgicas. Eles proclamam o evangelho, preparam o sacrifício, repartem entre os fiéis o pão eucarístico, ensinam a doutrina e exortam a pregação, administram os baptismos, abençoam os matrimónios, levam aos agonizantes e oficiam as exéquias.
O diaconato, esclareceu o bispo, constitui o primeiro grau do sacramento da ordem, um processo que precede o sacerdócio. Significa a entrada do escolhido ao estado clerical com seus benefícios e obrigações espirituais e jurídicas.
O novo diácono é natural do município do Caluquembe, na província da Huíla. Fez os seus estudos primários na sua terra natal. Passou pelos seminários do Lubango, Benguela e Huambo, onde concluiu a sua formação.

Tempo

Multimédia