Províncias

Namibe forma especialistas de diferentes áreas do saber

Manuel de Sousa |Namibe

Ao todo, 226 bacharéis dos cursos de biologia marinha, engenharias ambiental, eléctrica, mecânica e contabilidade e gestão da Universidade Mandume receberam, no fim-de-semana, na cidade do Namibe, os diplomas.

Mais de 200 bacharéis receberam os seus diplomas no passado fim-de-semana
Fotografia: Afonso Costa | Namibe

Ao todo, 226 bacharéis dos cursos de biologia marinha, engenharias ambiental, eléctrica, mecânica e contabilidade e gestão da Universidade Mandume receberam, no fim-de-semana, na cidade do Namibe, os diplomas.
O vice-reitor Abraão Mulangue incentivou os recém-formados a continuarem a trabalhar, a melhorar os conhecimentos profissionais e académicos e a realizarem trabalhos de pesquisa.
O director da Escola Superior Politécnica do Namibe, Agostinho Cachapa, referiu que os finalistas encontraram muitas dificuldades durante a formação e que “são fruto de um trabalho árduo e conjugado entre a universidade e a sociedade”.  “A sociedade será encarregada de acompanhar a vossa trajectória como indivíduos, através de vossa atitude, conduta e saber”, sublinhou. José Maria Jamba, um dos finalistas, disse que os quadros recém-formados estão preparados para enfrentar os desafios do futuro.  Fernanda Alexandre, finalista do curso de engenharia ambiental, afirmou que o bacharelato não é um fim em si, uma vez que pretende dar outros passos na carreira que escolheu.  A governadora do Namibe garantiu que o governo provincial, em parceria com o Ministério do Ensino Superior da Ciência e Tecnologia e a Universidade Mandume “Ya Ndemofayo”, em particular, desenvolve esforços para surgirem mais escolas do género.
Cândida Celeste anunciou que no próximo ano lectivo começa a funcionar a Escola Superior Pedagógica do Namibe. A governadora disse que o surgimento de mais uma escola pretende evitar que muitos jovens, após terminarem o ensino médio, abandonem a província para prosseguirem os estudos nas cidades do Lubango e de Benguela, a maioria dos quais, lamentou, já não regressa.
A Universidade Mandume “ Ya Ndemofayo”, antes Escola Superior de Ciências e Tecnologia, já formou 516 técnicos superiores.

Tempo

Multimédia