Províncias

Namibe forma operadores de turismo

João Upale | Namibe

Operadores do ramo da hotelaria e similares da Província do Namibe concluíram uma acção de formação sobre o “Turismo Sustentável para o Desenvolvimento Local”, organizado pela direcção da Hotelaria e Turismo com o financiamento da Agência espanhola de cooperação internacional para o desenvolvimento.

Vice-governadora do Namibe Maria Mahove disse que o desenvolvimento do turismo no país constitui uma aposta do Executivo devido às condições favoráveis que a natureza oferece
Fotografia: Dombele Bernardo| Jaimagens

No seminário, orientado pela consultora internacional em Turismo Sustentável para o Desenvolvimento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Dominique Verdugo,    foram abordados o projecto “Desenvolvendo negócios sustentáveis”, “Benefício do turismo internacional”, “ Turismo sustentável”, bem como os objectivos e métodos de elaboração de projectos.
Dominique Verdugo destacou a importância do turismo sustentável para a vida das comunidades, notando que a província do Namibe saiu muito a ganhar com o seminário, pois, referiu, os agentes de hotelaria e turismo foram dotados de ferramentas indispensáveis para um atendimento adequado e mais profissionalizado. “O turismo é ainda emergente, mas tem muito espaço para desenvolver-se”, sublinhou Dominique Verdugo. O presidente da Associação de Turismo do Namibe, Manuel Lua, realçou a importância da formação que, como disse, permitiu compreender melhorar o turismo sustentável e seus benefícios directos para as populações locais.
A vice - governadora para área social do Namibe, Maria dos Anjos Mahove, recordou que o desenvolvimento do turismo no país constitui uma aposta inquestionável do Executivo devido às condições favoráveis e a natureza proporciana.
“A grandeza do país e as suas belas paisagens e não só fazem com que o sector da hotelaria e turismo exija um modelo de desenvolvimento assente numa base sólida, com infra- estruturas hoteleiras e acomodação, capazes de ombrearem com as suas congéneres de outros países”, sublinhou. Para Maria Mahove, o turismo continuará a ser um factor de desenvolvimento económico e social do país em geral e da província em particular, a julgar pela sua dinâmica crescente.
 “O desafio é grande para que esse progresso passa acontecer dentro dos parâmetros e estruturas sustentáveis, daí a razão dessas acções de formação e capacitação”, defendendo serviços de hotelaria com padrões internacionais.

Tempo

Multimédia