Províncias

Novas estradas ligam as comunidades

Manuel de Sousa |

A reabilitação da estrada Namibe-Bentiaba, em direcção à província de Benguela, está totalmente concluída e pronta a ser inaugurada, de acordo com o director provincial do Instituto Nacional de Estrada de Angola (INEA) no Namibe, Edgar Xavier.

Fotografia: Afonso Costa

A reabilitação da estrada Namibe-Bentiaba, em direcção à província de Benguela, está totalmente concluída e pronta a ser inaugurada, de acordo com o director provincial do Instituto Nacional de Estrada de Angola (INEA) no Namibe, Edgar Xavier.
Segundo o responsável, nesta altura estão apenas a ser concluídos os trabalhos de sinalização horizontal e vertical. “Já está concluído o troço que vai do quilómetro 16, que faz intercepção com a Estrada 280 Namibe-Lubango, até à comuna do Bentiaba. Falta concluir o tapete que liga Bentiaba à vila piscatória da Lucira, cujos trabalhos estão a decorrer a bom ritmo, e segundo o cronograma, até ao fim do ano deve ser inaugurado”.
As obras, a cargo da construtora nacional SEOP, tiveram início em 2008. De acordo com Edgar Xavier, a reabilitação do troço Tchicolongilo-Bibala, em direcção à vizinha província da Huíla, também é uma das prioridades do sector no Namibe. As obras, que tiveram início em Janeiro do corrente ano e que têm prazo de duração de 18 meses, decorrem bem, apesar da necessidade de existência de uma via alternativa a da Serra da Leba, que sofreu danos consideráveis durante as fortes enxurradas do ano passado, estando nesta altura em manutenção.
Os trabalhos que vão do troço Lucira-Rio Equimina, em direcção ao Dombe Grande, província de Benguela, só estarão concluídos em 2013, segundo o director provincial do INEA no Namibe. Quanto à manutenção das estradas, Edgar Xavier disse que actualmente é feita pelas empresas Minuila e Abronhosa, mas vai ter um novo modelo, baseado na filosofia de concessões que permite manter a via sempre em bom estado.
Outras vias com prioridade são as que ligam Carajamba ao município do Virei e Chicolongilo à Bibala, contempladas no pacote das obras de reconstrução nacional. Segundo o director provincial, o INEA deixou de exercer o papel de executor para ser apenas supervisor das obras sob sua responsabilidade.
“Mas carecemos de quadros qualificados para um melhor acompanhamento dos trabalhos”, disse. A província do Namibe conta apenas com dois engenheiros civis, o que dificulta o trabalho de fiscalização das obras, disse Edgar Xavier.
O instituto tem proporcionado aos seus quadros cursos de superação e estágios dentro e fora do país, “mas temos poucos técnicos. É urgente contratar mais”.

Estrada Namibe-Tômbwa

A via Namibe-Tômbwa foi concluída em Outubro do ano passado e devia ser inaugurada em Novembro do mesmo ano, mas por razões de calendário do ministro do Urbanismo e Construção não foi possível e ficou aprazada para o corrente ano, segundo o director provincial do INEA.
A instituição tem um projecto direccionado para a reabilitação das vias terciárias que o governo local já executou, ao passo que as vias secundárias foram remetidas para 2013, por exiguidade de verbas, já que a alocada é muito mais baixa do que a que estava prevista. A reabilitação das mesmas estará sob a responsabilidade da direcção geral do INEA, segundo Edgar Xavier.
Em relação as vias terciárias, também por exiguidade financeira o programa deverá ser iniciado pelo departamento provincial. Para o efeito, o INEA vai adquirir equipamentos para potenciar as províncias que não têm e reforçar as que já possuem, como o caso do Namibe que está à espera de um reforço de meios que faltam como uma Bulldozer, porta-máquinas e outros e criar um fundo de maneio para poder gerir este desiderato.

Vias terciárias

Falando particularmente das vias terciárias, Edgar Xavier disse que o governo da província também tem se empenhado em intervir em alguns troços, recentemente inaugurados, como o que vai da subida ao quilómetro 17, ponto de intercepção da estrada com a vila piscatória do Tômbwa, em direcção ao município do Virei, numa extensão de 110 quilómetros, e no troço do Caitou ao Camucuio até a comuna do Mamue.
Nesta altura estão em curso trabalhos de reabilitação da via que vai do município do Camucuio à comuna das Cacimbas e da sede municipal da Bibala à comuna da Lola, e brevemente serão inauguradas.
As obras do Namibe à zona turística da Baía das Pipas estavam paralisadas por falta de pagamentos. Neste momento progridem em direcção à comuna da Lucira. “O pessoal está no terreno. O objectivo é que também até ao fim desde ano a empreitada esteja concluída”.

Realidade das pontes

Depois de um longo tempo, a construção da ponte do rio Curoca está já em curso. A execução física teve início em Fevereiro desde ano e a previsão é que até Dezembro próximo esteja concluída.
A ponte sob o rio Inamangando, na estrada da comuna da Lucira, está a merecer neste momento a colocação de estacas. A ponte do rio Tumbalunda, no sentido Namibe Lucira também está a ser reparada, e em breve as obras vão atingir o Bentiaba, o que significa que todas as pontes existentes neste troço serão substituídas por outras, com características mais modernas. Os trabalhos estão a ser executados pela construtora nacional Carmos, de acordo com o director do INEA.
A construção da ponte do Giraúl de cima, destruída pelas fortes chuvas de Março do ano passado, está para breve, garantiu Edgar Xavier, visto que as propostas técnicas e orçamentais já foram abertas e analisadas.
“Já existe um vencedor do concurso público em que participaram cinco empresas. A qualquer momento vai ser divulgado o empreiteiro e os valores adjudicados. Não tarda o empreiteiro vencedor vai estar no terreno para fazer a mobilização dos meios técnicos e humanos”, fez saber.
Segundo o responsável, o estudo geofísico já foi feito e está determinado que a ponte terá mais de 600 metros. O director provincial do INEA pede à população para preservar a rede viária, “porque foi construída com o dinheiro do povo angolano e devemos cuidar das obras de reconstrução nacional como se fossem as nossas casas”.
“É dever de todos preservar as estradas e pontes reabilitadas e construídas e denunciar situações de vandalismo que estão a pôr em causa o património público”, apelou o responsável.

Arruamentos urbanos

As ruas, lancis e passeios da cidade do Namibe sofreram recentemente uma intervenção, o que oferece uma nova imagem a cidade que outrora clamava por uma intervenção urgente.
Os trabalhos de reparação e ampliação da rede das telecomunicações e de electricidade de baixa tensão deram origem a muitos buracos. A falta de manutenção e o vandalismo por parte de alguns utentes são também responsáveis pelo mau estado de algumas vias.
Depois da paralisação da maioria das obras em 2010, por efeito da crise financeira internacional, o cenário actual é positivo para todos envolvidos no processo de reconstrução nacional das infra-estruturas, incluindo o executivo, empreiteiros e os habitantes da cidade que são os grandes beneficiários.
O administrador municipal do Namibe, Armando Valente, garantiu que a reposição dos fundos de gestão municipais está a permitir reparar as ruas da cidade do Namibe. A reabilitação da avenida Eduardo Mondlane, ex-líbris da cidade, com cerca de um quilómetro, está a dar aos namibenses e visitantes a oportunidade de usufruir do local. Entretanto, o governo local está preocupado com os actos de vandalismo por parte de alguns cidadãos, apelando a todos para que conservem este bem que representa um cartão postal da cidade.

Tempo

Multimédia