Províncias

Operadoras destroem os autocarros

Manuel de Sousa | Namibe

O director dos Transportes do Namibe, João dos Santos, em declarações ao Jornal de Angola, aconselha os operadores dos autocarros entregues recentemente pelo ministro Augusto Tomás, a operarem dentro das normas, para não serem penalizados.

A fiscalização sobre os transportes passa a ser mais rigorosa para evitar atropelos à Lei
Fotografia: Jornal de Angola

“As empresas seleccionadas para operar com os novos 15 autocarros de transportes interurbanos e intermunicipais, além de uma boa organização técnica e financeira, devem também cumprir as orientações do sector, que passam por operar apenas no território da província”, acrescentou.
João dos Santos informou que muitos autocarros postos à disposição das populações do Namibe em 2009 foram desviados e para que isso não se repita “vamos ser mais rigorosos na fiscalização, para que os meios sirvam verdadeiramente a população da província”. Os operadores devem apresentar mensalmente um relatório com o número de passageiros transportados.
No quadro do programa do Executivo de pôr à disposição da população transportes públicos, interurbanos e intermunicipais, a província do Namibe recebeu do Ministério dos Transportes, nos últimos quatro anos, mais de 150 autocarros.
Dos referidos meios, a empresa ACP recebeu 67 mas já só estão a funcionar 28. A BETACAP recebeu 23 mas apenas 12 estão funcionais, enquanto dos nove entregues à TRASNAC apenas um está a operar. Os dinheiros públicos foram delapidados e as populações da cidade do Namibe e arredores não têm autocarros à disposição.
“A operadora PUFIL é a que podemos considerar que tem uma gestão organizada, já que recebeu dez autocarros e todos estão operacionais”, disse o director provincial dos Transportes, acrescentando que em algumas localidades as estradas estão muito degradadas, como na via que liga a sede da província ao Virei, Cainda, Bibala, Lola e Cassimbas.

Tempo

Multimédia