Províncias

Os ventos da reconstrução sopram forte

Filomeno Manaças | *

 Os ventos da reconstrução batem forte na província do Namibe e as novas construções surgidas e em curso são a evidência da entrega de todos os seus quadros nos esforços para melhorar a qualidade de vida.



 Os ventos da reconstrução batem forte na província do Namibe e as novas construções surgidas e em curso são a evidência da entrega de todos os seus quadros nos esforços para melhorar a qualidade de vida.
Tal como no resto do país, o desafio de tirar a província da situação de marasmo provocada pela guerra e lançá-la nos trilhos do crescimento económico e social não tem sido tarefa fácil.
Mas se a governadora Cândida Celeste, a sua equipa e os namibenses fossem a olhar para o mar de dificuldades e ficassem resignados nada teria sido conseguido.
O Namibe hoje respira novos ares e o nome da governadora Cândida Celeste está associado às boas notícias que fazem os namibeneses exultar de alegria.
Pessoa destemida, Cândida Celeste é uma mulher de mangas arregaçadas e atenta aos detalhes. Quem já a acompanhou em viagens aos municípios em verdadeiras “campanhas de fiscalização” das obras em curso pode observar a determinação que imprime à realização das empreitadas. Procura sempre aliar o reparo crítico a uma dose de humor suave, incentivador, mas suficientemente incisivo para se perceber que a correcção deve ser feita. O efeito é moralizador e tudo caminha, então, sobre os carris.
Sob o punho firme desta mulher o Namibe está a trasnformar-se. As mudanças vão desde o surgimento de postos de saúde, escolas, chafarizes em várias povoações, a obras de vulto, como a unidade hospitalar de Saco-Mar, a Academia de Pescas e Ciências do Mar, os Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes, a nova centralidade da cidade do Namibe que já saiu do papel e tem as primeiras casas a serem construídas e, sobretudo, as vias rodoviárias que ligam a capital de província aos diferentes municípios.
Província com características muito próprias, onde o deserto disputa terreno com o homem e os rios são intermitentes, chegando alguns a ficar sem água no tempo do Cacimbo, o Namibe requer nalguns sectores empenho redobrado.
Quem percorre as estradas que levam ao interior da província depara-se com o cenário de máquinas e máquinas em constante actividade. Melhorar o acesso às populações dos municípios é uma prioridade para o executivo, tanto quanto é a preocupação em atender as necessidades essenciais desses aglomerados, como a água, a prestação de assistência médica e o acesso ao ensino por parte das crianças e jovens.
São os alicerces que estão a ser lançados para que o Namibe venha a mudar radicalmente de imagem nos próximos anos, tornando-a numa província pronta para receber grandes investimentos, fazer crescer a economia da província e gerar mais empregos para a sua população.
Porque só com trabalho o país cresce, os namibenses afirmam-se prontos a dar o seu máximo para transformar as grandes potencialidades da província em riqueza que vai ajudar a melhorar a qualidade de vida e projectar um futuro melhor para todos.
Os jovens acreditam que o trabalho até agora feito abre as portas para grandes conquistas nos domínios económico, social e cultural e que o seu cada vez maior empenho nos estudos e no trabalho vai ser a  mola impulsionadora das mudanças em curso.

* Administrador Executivo para a Área Editorial

Tempo

Multimédia