Províncias

Papel da mulher rural debatido no Namibe

Afonso Costa| Namibe

Centenas de mulheres provenientes de todos os municípios do Namibe debateram temas ligados ao papel da mulher rural como elemento preponderante para a subsistência dos agregados familiares e das comunidades situadas no campo, numa palestra organizada pela direcção provincial da Família e Promoção da Mulher.

Governador Rui Falcão (terceiro à direita) esteve presente na palestra realizada no Namibe
Fotografia: Afonso Costa

Ana de Oliveira, em nome da OMA, destacou o discurso do Presidente da República no final do ano passado defendendo a intensificação das acções que visam o desenvolvimento rural e a melhoria das condições de vida das comunidades. “O Executivo está apostado em resolver os problemas que afectam a mulher rural, tendo orientado os ministérios da Família e Promoção da Mulher, da Administração do Território e os serviços de Segurança Social para conduzir um programa de auscultação e discutir os problemas da mulher rural, para que o apoio seja ajustado à realidade de cada município e de cada província, através do Orçamento Geral do Estado.”
A oradora referiu que nas regiões florestais as mulheres se dedicam à agricultura, nas regiões marítimas e fluviais dedicam-se à venda e transformação do pescado ou na fabricação de artes, bem como na actividade piscatória.
No caso do Namibe, prosseguiu Ana Oliveira, a mulher no meio rural dedica-se à agricultura, às actividades ligadas à pastorícia e aos empreendimentos comunitários, sendo por isso considerada o eixo da economia doméstica.
“A mulher é o pilar da família, por razões diversas desenvolve a sua lavra em terreno próximo da casa, produz cestos e utensílios como panelas, colheres, copos para o funcionamento da casa, venda ou para trocar por outros bens”, explicou Ana Oliveira, explicando que a mulher rural das regiões desérticas contribui para o controlo dos animais domésticos, auxiliando os homens a deslocar o gado para regiões com pastos e água, no conhecido fenómeno da transumância. “Para essas deslocações, é a mulher que garante o alimento para os que viajam e para os que permanecem na aldeia”.
O governador provincial do Namibe, presente na palestra, disse que o Governo da província vai este ano construir duzentos novos sistemas de captação de água, já aprovados pelo Executivo central. “Estes empreendimentos vão ajudar a melhorar o abastecimento para consumo humano e dos animais, bem como produzir água para a agricultura.
As pessoas que se deslocam à procura de água vão ter esse precioso líquido perto das suas residências, produzindo alimentos para si e para os animais.”
Joaquina Olívia, proveniente da Bibala em representação das mulheres associadas daquele município do Namibe, disse que todas as mulheres devem participar no desenvolvimento do país. Apelou às mulheres a afluírem aos centros de alfabetização, porque são poucas as mulheres que abraçam esse programa lançado pelo Executivo angolano, que visa erradicar o analfabetismo até 2017.

Tempo

Multimédia