Províncias

Pescadores avaliam acções para aumentar as capturas

Afonso Costa | Namibe

Membros da cooperativa de pesca artesanal e aquicultura do Namibe, reunidos para avaliar as actividades realizadas pelas associações e identificar as dificuldades existentes, consideraram positivo o balanço das actividades realizadas durante o primeiro trimestre deste ano, quanto à captura de pescado.

O presidente da cooperativa, Mateus Zé Vata, revelou ao Jornal de Angola que, durante o período em referência, foram capturados 496.420 quilos de peixe.
“Este número permite-nos pensar que até ao fim do ano vamos ter uma boa captura, em comparação ao ano passado, em que foram capturados 173.128 quilos”. Nesta altura aparecem mais a corvina, parco, cavala e um pouco de carapau.
A cooperativa tem 13 embarcações, na sede da província (Namibe), Tômbwa, Lucira, Bentiaba, Baía das Pipas, Saco Mar e Rocha Magalhães, segundo Mateus Zé Vata.  De acordo com Mateus Zé Vata, das 58 associações 45 faliram, “porque quando as embarcações começaram a apresentar avarias não tiveram o cuidado de gerir a manutenção dos respectivos meios”.
O Governo Provincial criou uma política de recuperação dessas embarcações avariadas e logo que forem recuperadas vão ser entregues a outras associações que estejam organizadas e bem financeiramente.
 António Pafila Sucumula é o novo secretário-geral da Associação provincial de Pescas Artesanal e Aquicultura no Namibe, eleito durante uma assembleia-geral de balanço, e  substituiu Zé Nunes.
O novo dirigente promete, durante o seu mandato, mais trabalho para a resolução dos problemas levantados durante a assembleia, em relação à organização da pesca artesanal.

Tempo

Multimédia