Províncias

Rede sanitária está a ser reforçada no Curoca

Elautério Siipuleni | Curoca

As autoridades do município do Curoca estão a fazer uma forte aposta em projectos de expansão da rede sanitária e escolar, no âmbito dos programas que visam a melhoria da assistência médica e medicamentosa e a inclusão de novos alunos no sistema de ensino.

Sectores sociais são os que registam maior crescimento no município de Curoca
Fotografia: Jornal de Angola |

Este esforço tem sido constatado nas comunas, povoações e localidades do Curoca, onde o governo disponibiliza escolas, postos e centros saúde e de formação profissional aos munícipes.
No sector da Saúde, de acordo com o chefe da repartição municipal, Nelson Elias Correia, o objectivo do programa de expansão da rede sanitária é fazer com que as pessoas sintam os serviços clínicos mais próximos de si e reduzir os índices de mortalidade.
O responsável afirmou que o Governo Provincial continua a trabalhar para a construção de mais postos e centros sanitários em todas as localidades do município e naaquisição de equipamento e meios técnicos para os estabelecimentos, assim como na formação de quadros.
O objectivo é levar a saúde até às zonas mais longínquas e às populações mais necessitadas e desfavorecidas do município do Curoca, referiu o chefe de repartição.
Na municipalidade de Curoca existe um hospital, centros e postos de saúde, num total de sete unidades sanitárias, número que vai crescer em breve com a entrada em funcionamento de duas novas unidades de saúde nas povoações de Waú e Tapela.
Nelson Elias Correia avançou que o hospital municipal beneficiou recentemente de obras de restauro, o que permitiu o aumento da capacidade de internamento para 70 camas, contra as cerca de 20 que existiam há dois anos.
O responsável reconhece que a descentralização financeira, no quadro dos Programas de Municipalização dos Serviços de Saúde, está a facilitar a concretização de vários projectos do sector. O município dispõe de 53 técnicos, sendo apenas um médico. O responsável refere que Curoca necessita de mais quadros especializados.
O chefe da repartição municipal da Educação, Joaquim Pahula, disse que apesar de algumas dificuldades, ligadas principalmente ao mau estado das estradas, a região está a registar acentuadas melhorias sociais, com a construção de infra-estruturas escolares e criação de boas condições para os professores.
O sector em Curoca conta com 52 escolas, das quais quatro estão vazias, porque as crianças se dedicam mais ao pasto, referiu.

Tempo

Multimédia