Províncias

Rui Falcão revela os grandes projectos da província

João Upale| Namibe

O governador provincial do Namibe, Rui Falcão Pinto de Andrade, reafirmou que as autoridades provinciais vão continuar a envidar esforços para o aumento, este ano, dos níveis de fornecimento de energia eléctrica e produção energética, recorrendo a novas tecnologias que reduzem os custos.

Autoridades provinciais vão continuar a desenvolver esforços no sentido de aumentar este ano a capacidade de energia eléctrica
Fotografia: Dombele Bernardo

Rui Falcão realçou que a prioridade energética é para a área domiciliária e apoio à pequena e média indústria, sendo que a iluminação pública deve, a médio prazo, ter uma maior cobertura, com a colocação de candeeiros nas artérias da cidade e sedes municipais.
O governador provincial do Namibe informou que a construção do Parque Eólico da província, no município do Tômbwa, uma iniciativa público-privada, com a participação de uma multinacional, se encontra na fase de apresentação.
Rui Falcão revelou que a província do Namibe precisa de mais 80 megawatts de energia e este Parque Eólico prevê uma produção de 100 megawatts, sendo 50 para o Namibe e a outra parte para a Huíla.
Quanto ao abastecimento de água, o governador salientou que existe um projecto de requalificação de todo o sistema de distribuição da cidade do Namibe edas sedes municipais. No município do Namibe já começaram os trabalhos, estando em construção a nova unidade de tratamento de água no Bairro 5 de Abril,o de maior concentração populacional. Os reservatórios foram requalificados e aumentados.
O Governo Provincial do Namibe continua a trabalhar no sentido depromover as indústrias depescas e outras na província, de modo a disponibilizarem mais postos de e criar novas áreas de actividade económica, com destaque para a aquacultura, em benefício das famílias residentes. O Governo Provincial do Namibe envida ainda esforços para melhorar a circulação rodoviária em toda a província.
 Em 2014, deu início à construção da ponte do Giraúl de Cima e foram criadas outras redes viárias. Arrancaram as estradas entre a Bibala e o Camucuio, Bibala e Lola e Namibe e Virei, todas com fimprevisto para 2017, criando depois a circular que ligaa sede do município do Camucuio à comuna do Chingo e desta para Salinas, que vai facilitar o escoamento de produtos. Rui Falcão anunciou que a via de acesso à cidade e aos bairros periféricos vai ser melhorada após a conclusão do novo bairro que está em construção. Esta via, a única asfaltada que liga o casco urbano ao mercado informal, é uma das que registam maior número de acidentes de viação, por ser muito estreita para duas faixas de rodagem.
No ano passado, muitos postos de saúde foram criados no Namibe, inclusive em áreas recônditas, e as residências entregues aos técnicos do ramo são condignas.
O mesmo foi feito em relação ao sector da Educação, onde se notou um aumento considerável da rede escolar ea melhoria das condições de habitação dos professores.
A Educação, segundo revelou Rui Falcão, admitiu mais de 22 mil novos funcionários por concurso público, muitos dos quais já estão integrados, e “o processo vai continuar até todos serem enquadrados”.
Face à situação económica e financeira do país, Rui Falcão prevê uma des aceleração nos projectos do Programa de Investimentos Públicos (PIP) e a criação de novos com cautela. Ainda assim, um projecto de médio e longo prazo, a Requalificação da Marginal do Namibe, já começou, partindo da foz do rio Bero para o centro da cidade.
A transferência do Porto Comercial do Namibe para uma nova zona, de modo a ser concluído o processo de requalificação da cidade, “é um projecto que está em curso, mas não pelo Governo Provincial”, referiu Rui Falcão. “O Ministério dos Transportes foi o órgão mandatado para a execução do estudo e sabe-se que o programa se encontra em andamento. Por isso, vamos aguardar”, disse o governador provincial.

Academia das Pescas


O lançamento do primeiro ano lectivo da Academia das Pescas do Namibe pode arrancar em 2016, anunciou o governador provincial, Rui Falcão. As obras da Academia registaram um avanço bastante significativo e os estudos do Ministério das Pescas estão muito avançados, o que dá algumas garantias de, em 2016, ser lançado o primeiro ano lectivo.
Depois de nove meses com obras paralisadas, o governador refere que “tudo indica que vamos ser capazes de, até ao final deste ano, ter a Academia das Pescas praticamente concluída e em condições de em 2016 arrancarem as aulas”.
O governador provincial explicou que a Academia integra quatro Faculdades e, neste momento, estão a ser instalados os novos equipamentos que já chegaram à província.
Além disso, decorre a construção da piscina olímpica e das zonas habitacionais para professores e estudantes.
Rui Falcão falou ainda do desempenho dos órgãos de informação locais, tendo elogiado a classe jornalística, pública e privada,pelo trabalho que têm feito com a cobertura das actividades de desenvolvimento da província.
“Têm também sido um elo indicador das dificuldades existentes no seio das comunidades e alertam o Governo para a necessidade da sua solução, numa parceria que vai continuar”, disse Rui Falcão.

Tempo

Multimédia