Províncias

Tômbwa tem novo centro de testagem

Manuel de Sousa | Tômbwa

Um novo centro de aconselhamento e testagem voluntária foi aberto recentemente, na vila do Tômbwa, no Namibe, através de um financiamento da petrolífera EssonMobil, operadora do bloco 15 e implementado pelo Instituto Provincial de Medicina Preventiva (IPMP).

Cada cidadão deve compreender a situação de qualquer um dos membros da família contaminado com o vírus
Fotografia: Afonso Costa

Um novo centro de aconselhamento e testagem voluntária foi aberto recentemente, na vila do Tômbwa, no Namibe, através de um financiamento da petrolífera EssonMobil, operadora do bloco 15 e implementado pelo Instituto Provincial de Medicina Preventiva (IPMP).
Inaugurado pela governadora Cândida Celeste, o centro possui duas salas de aconselhamento, laboratório equipado com material de testagem, consultório médico, sala de informática e cadeias de frio para vacinação.
O chefe de repartição municipal da saúde do Tômbwa, António Capitango, qualificou o empreendimento como um “bem social de grande utilidade” para o aconselhamento e testagem voluntária dos munícipes e não só.
“Assumimos o compromisso de nos empenharmos na sensibilização da população sobre as infecções de transmissão sexual, sobretudo a juventude, para uma mudança de mentalidade que leve a um comportamento sexual responsável”, disse.
A administração municipal esclareceu, através da repartição da saúde, que criou um programa de testagem voluntária nas escolas, bairros, povoações e comunas, com o objectivo de diagnosticar e acompanhar os casos detectados, já que, recordou, consta das prioridades do Executivo angolano a redução deste mal que tem vindo a vitimar muitas vidas, até 2012.
O responsável da saúde no Tômbwa garantiu a distribuição de retrovirais a todos os seropositivos, para que tenham uma vida normal e cumpram as orientações médicas.
Cândida Celeste disse que o centro tem grande valor, tanto para as pessoas receberem conselhos como para saberem do seu estado serológico. “ Temos crianças que nascem já seropositivas e, também por isso, gostaríamos de continuar a aconselhar os munícipes do Tômbwa a não terem receio de visitar o centro para falar com os médicos sobre os seus problemas”, disse, reiterando o apelo a todos para que se sujeitem à testagem voluntária. “Não devemos recear. Muita gente morreu porque não aceitou a doença.
Quando sabemos que estamos doentes e a testagem acusou positivo não devemos ter receio, pois hoje o vírus não mata desde que se cumpra a medicação”, acrescentou.  Aconselhou as mães a fazerem o acompanhamento das crianças que nascem com esta doença e aceitem os conselhos dos profissionais de saúde para saberem como proceder depois de conhecerem a condição dos seus filhos.
“É preciso que cada um de nós compreenda a situação de qualquer um dos membros da sua família que esteja contagiado, para se tratar, porque temos recebido informações de pessoas que se enforcam por não aceitarem a doença”, referiu Cândida Celeste.
Classificando tal atitude de cobardia, esclareceu que “ter a doença é normal e o que devemos fazer primeiro é prevenir. Se acusamos positivo vamos fazer o tratamento e levar uma vida saudável”. A governadora lembrou os jovens que devem ter uma atitude responsável em relação ao sexo, para se prevenirem das gravidezes indesejáveis, do contágio do VIH e de outras doenças sexualmente transmissíveis. Cândida Celeste convidou a população do Tômbwa a também se prevenir relativamente a outras doenças, como a malária, recorrendo ao uso de mosquiteiros impregnados, e evitando pôr o lixo próximo das residências, pois “tem chovido muito no Namibe nos últimos tempos, o que provoca a acumulação de água e lixo”.
O município do Tômbwa já contava, desde 2007, com um centro de aconselhamento e testagem voluntária, a funcionar no bairro João Firmino Tchinanga, que atendeu até agora mais de 7.400 pessoas, 178 das quais tiveram testes positivos e registou 18 óbitos.

Tempo

Multimédia