Províncias

Tratar documentos é mais fácil na sede da Bibala

João Upale| Namibe

Yambo Tchapona Kassupi, de 79 anos, moradora na Bibala, foi a primeira a ser atendida e a receber o Bilhete de Identidade, depois de testemunhar com alegria a abertura dos Serviços de Identificação Civil e Criminal.

A população dos municípios do Namibe já não precisa ir até à sede da província para tratar documentos como o Bilhete de Identidade
Fotografia: Afonso Costa| Namibe

Avó Tchapona, nasceu em 1935 e nunca teve um documento oficial de identificação. Por isso agradeceu, às autoridades por colocarem os serviços pela primeira vez no município da Bibala.
“Sinto-me muito feliz por ter o meu Bilhete de Identidade. Sou agora uma verdadeira angolana. Apesar da idade, sinto que já sou reconhecida pelo Estado e pelos dirigentes do nosso país, todos vão saber que afinal de contas na Bibala vive uma avó que responde pelo nome de Tchapona", disse a rir.
Yambo Tchapona Kassupi encorajou outros idosos a acorrerem aos postos fixos e móveis que estão a ser criados pelos Serviços da Justiça em várias localidades da província do Namibe, para tratar dos documentos de identificação.
O jovem Sabonete Janjalino Kayonda, 17 anos, natural da comuna do Chingo, município do Camucuio, está alegre porque conseguiu o primeiro Bilhete de Identidade. Estudante na Bibala, ele foi três vezes à cidade do Namibe para tratar do documento, mas foi impossível. Havia sempre qualquer coisa que estava mal.
“Digo aos jovens como eu e também aos adultos que esta é a hora de adquirirmos a nossa cidadania, tratar da documentação que nos possa um dia facilitar na inscrição ao primeiro emprego”, afirmou. José Domingos é outro munícipe que adquiriu o registo criminal no dia da inauguração dos serviços da Justiça na Bibala. Agora vai inscrever-se na escola de condução na cidade do Namibe para tirar a carta. Ele quer ser motorista.
A reportagem do Jornal de Angola verificou a presença de uma multidão que aguardava, desde as primeiras horas da manhã, para tratar um documento oficial pela primeira vez na vila da Bibala.

Instrumento valioso

O administrador municipal, Luís Savazuka, disse que, com os novos serviços da Justiça os munícipes podem adquirir documentos, como o Bilhete de Identidade.
Luís Savazuka assegurou ainda que a Administração Municipal vai transmitir mensagens às entidades tradicionais, religiosas e administrações comunais, no sentido de disseminarem a importância que os serviços de Identificação Civil e Criminal têm para a vida das populações.
“É um bem que o Estado põe ao serviço da população”, disse, referindo que a adesão é grande, porque os serviços vão ao encontro da população e com custos menos onerosos. “Este é um pormenor que nós temos que sublinhar: o Estado angolano vai abrindo serviços úteis que ficam cada vez mais próximos da população”.

Serviços no Camucuio


Além do município da Bibala, os Serviços de Identificação Civil também chegaram no mesmo dia ao município do Camucuio, 24 horas depois de terem sido lançados no município do Tômbwa. O soba da aldeia de Kulukayona, comuna do Mamwé está satisfeito porque a partir de agora todos podem tratar do Bilhete de Identidade, tirar a carta de condução, o passaporte, abrir conta bancária e registar-se na Segurança Social.
O soba Ndanguka Kaneketela diz que desde a abertura no Camucuio dos serviços de Justiça, “vou passando à pé ou de bicicleta nas aldeias ou povoações, transmitindo ao povo que já temos, na sede do município, a casa onde podemos tratar todos os documentos”. 
 Na Bibala e no Camucuio, as infra-estruturas ligadas ao sector da Justiça foram inauguradas pela directora Nacional da Identificação Civil e Criminal, Felismina da Silva. A população do município do Tômbwa também já conta com os serviços municipais da Justiça.
Segundo Felismina da Silva, até 31 de Dezembro de 2016, todo o cidadão nacional pode adquirir o seu primeiro Bilhete de Identidade de forma grátis.

Tempo

Multimédia