Províncias

Welwitschia atrai turistas

Arão Martins | Namibe

Welwitschia mirabilis, a rara planta localizada no deserto do Namibe, foi a principal atracção das selecções e delegações estrangeiras que participam no 41.º Campeonato Mundial de Hóquei em Patins na província do Namibe.

Elementos das selecções do Uruguai, Colômbia, Estados Unidos da América, Alemanha, Moçambique, Argentina, França e Itália foram unânimes em reconhecer terem ficado “encantados” com pontos turísticos do Namibe.
O capitão da selecção dos Estados Unidos, Shane Enlow, disse que Angola e, no caso particular, a província do Namibe, possui uma variedade impressionante de belezas naturais, com destaque para o deserto e para a planta Welwitschia mirabilis.
Claudio Maeso, capitão da selecção do Uruguai, recomendou que se explorem mais as potencialidades naturais do Namibe, pois, estas em qualquer parte do mundo rendiam muito dinheiro. “Desfrutámos de momentos bonitos. O deserto do Namibe e a planta Welwitschia mirabilis são impressionantes.”
A Welwitschia mirabilis é um género monotípico de plantas verdes gimnospérmicas, cuja única espécie se encontra no deserto do Namibe e na Namíbia.
É uma planta rasteira, formada por um caule lenhoso que não cresce, uma enorme raiz aprumada e duas folhas apenas, provenientes dos cotiledones da semente.  As folhas, em forma de fita larga, continuam a crescer durante toda a vida da planta, uma vez que possuem meristemas basais.
Com o tempo, as folhas podem atingir mais de dois metros de comprimento e tornam-se esfarrapadas nas extremidades. É difícil avaliar o limite da vida desta planta mas admite-se que possa ir além de 1.000 anos.
Além da Welwitschia mirabilis, os turistas visitaram a avenida marginal, a fortaleza do Namibe e as praias. O governador do Namibe, Rui Falcão, acredita que, com a visita das delegações estrangeiras aos locais com belezas naturais, está relançado o turismo a nível daquela região do país.

Tempo

Multimédia