Províncias

Nova escola foi aberta na Chibia

Estanislau Costa | Chibia

Mais de 800 alunos da povoação da Mutendua, no município da Chibia, a 45 quilómetros a sul da cidade do Lubango, contam com melhores condições para aprender a ler e escrever, com a entrega da nova escola,

Objectivo das autoridades é inserir todas as crianças no sistema normal de Ensino
Fotografia: Arimateia Baptista | Huíla

de seis salas, feita terça-feira pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge.
O estabelecimento do ensino primário, erguido na zona rural, orçou em 34 milhões de Kwanzas e possui sala dos professores, área administrativa, lavabos, pátio para recreação e lazer, assim como um espaço onde os alunos possam ganhar o gosto pelo cultivo e criação de animais.
O governador da Huíla colocou também à disposição das famílias um sistema de captação e abastecimento de água potável, que vai beneficiar mais de sete mil habitantes. A construção do fontanário, acoplado de tanques para as senhoras cuidarem do vestuário, custou 15 milhões de Kwanzas.
João Marcelino Tyipinge apelou aos encarregados de educação, autoridades tradicionais e alunos a cuidarem da primeira escola erguida em Mutendua, para poder acolher sempre novos alunos. “Antes os meninos estudavam debaixo das árvores, mas agora têm uma nova escola, que deve ser bem cuidada”.
Para o governador da Huíla todas as infra-estruturas de impacto socioeconómico colocadas à disposição da população devem ser preservadas por todos, de modo que possam durar mais tempo. “É preciso que haja mais vigilância e levar as autoridades os prevaricadores que forem apanhados”, disse.
O governador  da Huíla garantiu que, apesar do momento económico menos bom que o país enfrenta, devido à redução do preço do petróleo, o Executivo vai dar solução às preocupações mais candentes das comunidades de várias povoações. “Vamos atender os clamores da população de Mutendua para se melhorar a assistência sanitária”.
O soba Adelino Ndambate disse ao Jornal de Angola que estão resolvidas as duas preocupações sempre manifestadas pelas famílias, relativamente à falta de uma escola e um fontanário.
“A fuga à escola já reduziu e as doenças de origem hídrica também baixaram”, afirmou.
A autoridade tradicional da região informou que neste momento decorrem campanhas de sensibilização e mobilização para se apostar na lavoura nos campos de cultivo que ninguém faz uso, para aumentar, cada vez mais, as colheitas de cereais e hortícolas.
Segundo o soba, as colheitas de milho, massango e massambala são satisfatórias e os camponeses da região já começaram a plantar batata-doce, para variar a dieta. “Precisamos de mais instrumentos de trabalho, gado para tracção animal, sementes e fertilizantes”.
O novo administrador municipal da Chibia, Januário Lombe, apresentado recentemente à população, disse ao Jornal de Angola que vai dar prioridade à materialização de projectos dos sectores da Agricultura, Educação, Saúde e Desportos.
Januário Lombe diz esperar contar com o apoio de todas as forças vivas do município da Chibia para fazer funcionar em pleno a barragem das Ngangelas, totalmente reabilitada e capaz de gerar energia eléctrica para fortalecer a produção agrícola e criar excedentes para exportar. Augusto Pedro Nguimbi afirmou que o projecto prevê aumentar a produção, melhoramento de infra-estruturas, formação de quadros, introdução de tecnologias e transformação de produtos do campo, com particular realce à mandioca e banana.

Tempo

Multimédia