Províncias

Nova Estrada Nacional encurta antigas distâncias

José Chaves| Andulo e Matias da Costa| Cuito

A conclusão da reabilitação de 178 quilómetros da Estrada Nacional 360, que liga Andulo, Calussinga, Mungo, Alto Hama e Lobito, melhorou a fluidez e segurança na circulação de pessoas e bens.

Automobilistas provenientes do Huambo podem agora chegar a Malanje e Cuanza Sul sem terem de passa pela cidade do Cuito
Fotografia: Domingos Cadência

Os automobilistas que circulam nesta estrada, uma via que liga as províncias do Bié, Huambo e Benguela, estão satisfeitos com os trabalhos realizados.
Com a abertura da via entre Calussinga e Mungo, os automobilistas provenientes do Andulo e Nharea podem agora chegar à província do Huambo e ao município do Lobito (Benguela) sem terem de passar pelo Cuito, capital da província do Bié.
A reabilitação de estrada, além permitir maior fluidez e segurança, facilita igualmente o escoamento de produtos agrícolas.
Com o melhoramento da via, é o notório o movimento de viaturas nos dois sentidos, em qualquer período do dia.
 Os preços dos bilhetes de passagem dos autocarros de Andulo para o Lobito, estão fixados em dois mil kwanzas. Pela mesma distância, de táxi, são cobradostrês mil kwanzas.
Cecília Catepa, 24 anos, professora do I Ciclo, residente no município da Nharea e natural do Lobito, conseguiu entrar na Função Pública em 2012 e foi colocada no Bié.  Hoje Cecília faz com regularidade esse trajecto. A professora diz que a circulação está a ser feita em melhores condições. “O percurso”, conta a jovem, “é feito em apenas cinco horas, enquanto antes eram necessário dois dias.
Tenho viajado com regularidade para o Lobito, sem ter de passar peloCuito, porque a estrada que liga o Anduloao Mungo está em óptimas condições.”
Faustino Maquina, taxista, que viaja entre Andulo, Calussinga e Huambo exprimiu a sua satisfaçãopelareabilitação das estradas e aconselhou os automobilistas aconservarem a via, porque ela vai contribuir para o desenvolvimento regional.
Com a abertura da estrada entre o Mungo e Calussinga, os automobilistas provenientes do Huambo podem agora chegar à povíncia de Malanje e ao município do Mussende, na província do Cuanza Sul, sem terem de passar pela cidade do Quito.
O administrador municipal do Andulo, Moisés Américo Cachipaco, afirmou que os trabalhos realizados estão a ajudar a promover o crescimento económico e demográfico da região e a encurtar o tempo de viagem entre várias localidades.
O Administrador disse que a via facilita a vida dos habitantes das três províncias, alguns dos quais escolhiam caminhosimpróprios para circular.

Obras prosseguem no Bié

O governador provincial do Bié garantiu na terça-feira, no município de Catabola, a construção de mais infra-estruturas para garantir a estabilidade social das famílias e uma paz justa e sustentável.
Álvaro Boavida Neto falava no final da inauguração de obras em Caiuera e Chipeta, com destaque para dois centros médicos, com capacidade para 30 camas, e duas escolas primárias, com quatro salas cada, com vista a reforçar a capacidade de resposta dos dois sectores.
As novas infra-estruturas de impacto social e a ampliação de outros serviços integrados conferem dignidade e traduzem-se em estabilidade social e bem-estar das famílias.
O governador Álvaro Boavida Neto salientou que as autoridades vão continuar a envidar esforços para erguer mais escolas, postos de saúde, casas sociais e oferecer mais oportunidades de emprego em toda região.
“É desta maneira que vamos conseguir edificar uma pátria de boa convivência, com capacidade verdadeira de unidade e reconciliação”, disse.
O governador da província transmitiu a sua confiança na execução dos Programas de Investimentos Públicos (PIP), daí que a grande dificuldade dos munícipes do eixo leste do Bié, que são as vias de acesso, está a ser resolvida com a reposição da estrada 250. “Poranta, vamos contar proximamente com boas estradas”, disse, tendo  anunciando também a conclusão em Novembro  próximo do Hospital Municipal de Catabola.

Tempo

Multimédia