Províncias

Novas casas nascem na zona ribeirinha

Lourenço Bule | Menongue

Um total de 450 casas sociais de tipologia T3 vão ser construídas ao longo da zona ribeirinha do Rio Cuebe, anunciou na sexta-feira, na cidade de Menongue, o chefe de departamento da Direcção Nacional de Infra-estruturas Urbanas.

No novo bairro da cidade de Menongue vão ser também criados espaços comerciais para potenciar os negócios e os investimentos privados
Fotografia: Lourenço Bule | Menongue

Nuno Brandão disse ao Jornal de Angola que a par dos 450 fogos habitacionais, está ainda em curso a construção de pontes e vias secundárias e terciárias, além de estar previsto criar novos espaços comerciais, desportivos e de lazer, para potenciar os negócios na região e os investimentos privados.
A construção de dois edifícios de quatro pisos, no bairro Vitória, arredores de Menongue, com 16 apartamentos T2 cada, é outro projecto a ser desenvolvido em breve, ao mesmo tempo que em Menongue começam as obras de requalificação da cidade, que vão ter a duração de 18 meses e compreendem uma área de 50 hectares. A empreitada, que deu origem a 270 postos de trabalho, dos quais 245 para angolanos e 25 para brasileiros, decorre a bom ritmo.
No quadro deste projecto, a cidade de Menongue vai passar a dispor, em breve, de 4,7 quilómetros de estrada com iluminação pública e passeios, pavilhões multiusos, unidades hoteleiras e comércio, complexo de piscinas, anfiteatros, entre outros serviços.
Nuno Brandão realçou que este é um projecto que visa fundamentalmente garantir um crescimento económico sustentável e impulsionar a actividade turística e cultural do Cuando Cubango e de Menongue.

Realojamento garantido

A administradora adjunta de Menongue, Manuela Ferraz, anunciou que vão ser construídas 182 residências no bairro Cuenha, a partir deste mês, para realojar as pessoas que vivem nas zonas ribeirinhas ao longo da margem do Rio Cuebe.
Manuela Ferraz explicou que destas habitações, 130 são do tipo T1, 32 T2 e outras 20 T3.
“Este processo compreende duas fases, sendo que a primeira vai cingir-se à indemnização das pessoas que tinham as lavras nas zonas ribeirinhas". Neste momento, já foi feito o levantamento total das famílias a serem realojadas no bairro Cuenha, segundo Manuela Ferraz .
A administradora adjunta salientou que o processo vai durar três meses, uma vez que ainda existem algumas pessoas que não receberam bem o apelo das autoridades de Menongue em relação aos perigos que correm por viverem perto das margens do rio, devido aos jacarés e a outros factores.

Tempo

Multimédia