Províncias

Novas infra-estruturas sociais dão nova imagem ao Kunhinga

Delfina Victorino | Kuito

O novo comando municipal da Polícia, a reabilitação do hospital sanatório do Voga, o palácio municipal, as residências dos técnicos e profissionais da saúde e educação, são algumas obras em construção e em reabilitação no município do Kunhinga, que dista 30 quilómetros da cidade do Kuito

O novo comando municipal da Polícia, a reabilitação do hospital sanatório do Voga, o palácio municipal, as residências dos técnicos e profissionais da saúde e educação, são algumas obras em construção e em reabilitação no município do Kunhinga, que dista 30 quilómetros da cidade do Kuito.
A administradora local, Beatriz Napende, sublinhou que em algumas comunas existem igualmente obras de construção das administrações, postos policiais e residências dos administradores comunais.
Beatriz Napende adiantou que a falta de uma concertação técnica entre o gabinete de estudos, planeamento e estatística com os empreiteiros foi a principal causa de muitas obras em atraso naquela localidade.
Disse que, tendo em conta o número da população, a administração municipal prevê aumentar as estruturas no sentido de corresponder às suas necessidades.
Em relação às vias de comunicação, a administradora frisou a degradação e a dificuldade existente na deslocação de pessoas e transportação de mercadorias e bens.
Explicou que o governo local prometeu envidar esforços na reparação das estradas terciárias e secundárias no sentido de facilitar a livre circulação da população.
A administração municipal, assegurou, adquiriu chapas de zinco para apoiar as pessoas desalojadas pelas chuvas que caem com muita frequência na localidade.
Com o processo de descentralização, a administração local adquiriu duas mil chapas para a construção de mais 22 escolas nas aldeias mais distantes das sedes comunais, onde as crianças estudavam por baixo das árvores.
O sector da saúde conta com mais 200 enfermeiros, que prestam serviços em nove unidades hospitalares de pequena dimensão.
A distribuição de medicamentos está garantida, com o apoio da direcção provincial da Saúde.
A falta de transporte tem dificultado a transportação de pacientes residentes nas aldeias mais distantes, o que leva os familiares a arranjarem alternativas, carregando-os em tipóias.
 
Descargas eléctricas

As descargas eléctricas, fruto das chuvas que caem com muita intensidade, influenciam negativamente na colheita dos produtos agrícolas no município do Kunhinga, afirmou a administradora Beatriz Napende.
O feijão, que tem sido o produto agrícola cultivado com mais intensidade pelos agricultores locais, foi o mais prejudicado, tendo em conta as enxurradas que se fazem sentir.
A falta de condições para o escoamento dos produtos tem sido o principal obstáculo enfrentado pelos agricultores, que adoptaram o sistema de transportar os produtos em bicicleta, carros de mão e por cima das cabeças.
A administradora municipal do Kunhinga salientou que a falta de fertilizantes tem igualmente dificultado a actividade dos agricultores.
O Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) perspectivou, para a campanha agrícola 2009/2010, a mecanização de quatro mil hectares de terra em todas as localidades da província.
O fornecimento de meios agrícolas às famílias camponesas e pequenos agricultores, bem como a distribuição de catanas, enxadas, charruas de tracção animal e machados, foi igualmente programado pelo IDA.
A admissão de outros técnicos para o programa de extensão e desenvolvimento rural, a formação e treinamento dos técnicos deste sector e a construção dos escritórios da Estação de Desenvolvimento Agrário do Kuito, foram agendados no final do primeiro semestre do ano em curso.
O responsável do IDA, Roque Receado Miguel, aclarou que actualmente existem cerca de 56 escolas de campo, com mil e seiscentos membros, por isso há a necessidade de melhorar a capacidade organizacional dos camponeses e produtores.

Tempo

Multimédia