Províncias

Novas ravinas destroem casas

Lourenço Manuel| Cuito

O administrador do município do Cuito Cuanavale disse, ontem, ao Jornal de Angola, que a situação das ravinas na sede do município está fora do controlo das autoridades locais.

As fortes chuvas que se abateram sobre a região provocaram o desabamento de terras
Fotografia: JA

O administrador do município do Cuito Cuanavale disse, ontem, ao Jornal de Angola, que a situação das ravinas na sede do município está fora do controlo das autoridades locais.
Joaquim Cantena afirmou que as constantes chuvas que se abatem sobre a região provocaram oito novas ravinas de médias dimensões, que causaram a destruição de 16 casas.
Em consequência disso, 40 famílias estão desalojados, referiu, acrescentando que as ravinas danificaram a vedação da antena da Unitel.
As pessoas desalojadas, disse, tiveram de se instalar em casas de familiares ou abandonaram a vila e foram viver nas lavras.
Ontem, uma equipa do Instituto de Estradas de Angola (INEA) e da direcção provincial das obras públicas tentava evitar a progressão das ravinas.
O governador do Kuando-Kubango, Eusébio de Brito Teixeira, acompanhado pelo primeiro secretário do comité provincial do MPLA, Tuta "Batalha de Angola", esteve, recentemente, no Cuito Cuanavale para avaliar os estragos provocados pelas ravinas que progridem em várias direcções devido às águas da chuva. 
Na altura, o governador verificou que uma das ravinas, com cerca de dez metros de largura e quatro quilómetros de comprimento, se estava a ramificar em várias direcções, uma delas em direcção ao memorial dos heróis da batalha do Cuito Cuanavale, do centro médico local, do novo edifício do palácio da administração inaugurado recentemente e do comité municipal do MPLA.
Caso as chuvas continuem, as ravinas que nascem nas margens do rio Cuito podem derrubar uma escola, com quatro salas, a antena da operadora da Unitel, o comando da Polícia Nacional e o gabinete municipal eleitoral.

Tempo

Multimédia