Províncias

Novos bairros com falta de espaços verdes

Domingos Calucipa | Ondjiva

O director do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) do Cunene pediu ontem às administrações municipais que criem zonas verdes nos projectos habitacionais em construção para reporem a vegetação devastada pelas obras.

Instituto de Desenvolvimento Florestal preocupado com a falta de plantação de árvores nos bairros
Fotografia: Jornal de Angola

O director do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) do Cunene pediu ontem às administrações municipais que criem zonas verdes nos projectos habitacionais em construção para reporem a vegetação devastada pelas obras.
Abel Zamba referiu que o IDF está preocupado por os projectos de construção das casas da juventude e dos cem fogos habitacionais não serem acompanhados de plantação de árvores.
O IDF dispõe nos viveiros de mais de dez mil plantas de diferentes espécies, principalmente acácias rubras, moringas, mangueiras e goiabeiras, mas, lamentou, nenhuma administração municipal o contactou.

Situação na fronteira
/>O responsável do IDF também deplorou “a devastação desenfreada da vegetação ao longo da fronteira com a Namíbia, entre os marcos três e 35”.
A flora na província, advertiu, desaparece aos poucos e vamos entrar numa situação alarmante, sobretudo nos marcos fronteiriços com a Namibia, nos municípios de Namacunde e de Ombadja, onde angolanos e namibianos devastam extensas zonas para o fabrico de carvão, madeira, lenha e construção.Não temos meios, confessou, para fazer face a esta situação, apesar de contamos muitas vezes com o apoio da Policia de Guarda Fronteira que impede vários abates de árvores feitas muitas vezes a coberto da noite.

Tempo

Multimédia