Províncias

Novos licenciados e mestres recebem diplomas na Huíla

Domingos Mucuta | Lubango

Um grupo de 296 mestres e 1.200 licenciados formados, nos últimos tempos, pelo Instituto Superior de Ciências da Educação (Isced) da Huíla recebe, na próxima sexta-feira, certificados de fim do ciclo formativo, anunciou ontem, na cidade do Lubango, o director-geral daquela instituição académica.

José Luís Alexandre é o director do Isced
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

José Luís Alexandre referiu que os 296 mestres fazem parte da segunda edição de mestrado nas especialidades de Química, Biologia, Física, Matemática e Desenvolvimento Curricular, áreas em que estão formados os licenciados.
O director-geral disse que o processo de outorga acontece pela primeira vez de forma autónoma, tendo em conta o fim da dependência institucional do Isced da Huíla à Universidade Agostinho Neto, que homologava os diplomas e certificados.
José Luís Alexandre salientou que a entrega de diplomas é antecedida de jornadas de reflexão sobre o “Impacto dos mestrados em desenvolvimento curricular e ensino de ciências do Isced - Huíla e para potenciar a qualidade de futuras edições.” O Isced - Huíla, fundado a 30 de Agosto de 1980, já formou mais de 2.600, licenciados nas especialidades de Biologia, Química, Matemática, Filosofia, Pedagogia, Psicologia, Física, Língua Portuguesa, Inglês e Francês.
O director-geral disse que um dos grandes problemas das edições anteriores do curso de mestrado é a carência de docentes nacionais com o grau de doutor, o que obriga o recurso a professores de universidades estrangeiras.
 A primeira edição de mestrado iniciou em 2003 e a segunda em 2011. Referiu que as alternativas têm sido os professores das universidades de Coimbra, Lisboa, Aveiro, Évora (Portugal), Windhoek (Namíbia) e São Paulo (Brasil), numa altura em que a direcção do Isced prevê, nos próximos tempos, a assinatura de mais convénios com as congéneres de Acra (Ghana) e do Cairo (Egipto).
“Estamos a trabalhar na troca de experiência para a assinatura de protocolos de cooperação com outras universidades, para que a terceira edição, cuja data está por definir, decorra com êxito e que seja mais abrangente para todos os interessados”, afirmou o responsável.
O Instituto Superior de Ciências de Educação na província da Huíla, que este ano matriculou 6.623 estudantes, conta com salas nos municípios de Caluquembe, Caconda, Chibia e Matala, sendo as aulas asseguradas por 147 professores, dos quais 126 nacionais.

Tempo

Multimédia