Províncias

O ano do avanço gigante na reconstrução nacional

Sérgio Chivaca|

O ano que hoje termina foi marcado, em todas as províncias, pela entrada em funcionamento de milhares de infra-estruturas de impacto social, reabilitadas e construídas no âmbito de programas gizados pelo Executivo, para melhorar o nível de vida da população.

A reabilitação das vias de acesso está a permitir melhorar a circulação de pessoas e o escoamento de produtos do campo para as cidades
Fotografia: Francisco Bernardo

O ano que hoje termina foi marcado, em todas as províncias, pela entrada em funcionamento de milhares de infra-estruturas de impacto social, reabilitadas e construídas no âmbito de programas gizados pelo Executivo, para melhorar o nível de vida da população.
Das infra-estruturas inauguradas, o destaque vai, sem sombras de dúvidas, para as dos sectores da Saúde, Educação, Agricultura e Obras Públicas.
O programa de expansão dos serviços da Saúde, por exemplo, permitiu fazer com que a população deixasse de percorrer longas distâncias em busca de assistência médica, ao passo que no sector na Educação, as novas infra-estruturas permitiram a inserção de larguíssimos milhares de crianças no sistema nacional de ensino.
No sector da Agricultura, os camponeses beneficiaram de créditos bonificados e outros apoios, visando o aumento da produção, no âmbito do programa de combate à pobreza, ao passo que no sector das Obras Públicas, o programa de fomento habitacional permitiu melhorar as condições de habitabilidade da população e a reabilitação de estradas está a facilitar a livre circulação de pessoas e mercadorias.

Zaire -
No cômputo geral, o ano de 2012 foi significativamente positivo para a província, pelo volume de obras realizadas e outras ainda em curso, o que abre novas perspectivas para catapultar a região num alicerce seguro da economia do país. Há evidentes sinais que ilustram o crescimento no Zaire. As distâncias que se percorriam em cinco dias ficaram encurtadas para oito a sete horas. O sector bancário cresceu e a região beneficiou de novas infra-estruturas no domínio da Saúde, Educação, Energia e Água. Outro ganho alcançado incidiu, fundamentalmente, na abertura da Escola Superior Politécnica, projecto que veio galvanizar as forças vivas da região, com maior enfoque na juventude, que viu rejuvenescidas as esperanças de um futuro melhor.
Com o arranque do processo de asfaltagem das ruas e estradas, Mbanza Congo ganhou uma nova imagem, que confere dignidade e orgulho aos seus habitantes. A renovação das estradas, processo ainda em curso, e a recuperação das pontes, permitiram ao Zaire sair do isolamento a que esteve votado. Um grande desafio se abre em 2013, com a asfaltagem dos troços entre Mbanza Congo, Cuimba e município fronteiriço do Nóqui. Os trabalhos de requalificação, ainda em curso nos centros urbanos das sedes municipais, e a construção de 1.200 fogos em toda a província, sendo 200 por cada município, são outro ganho registado. Há ainda a realçar o projecto da fábrica de gás natural liquefeito (Angola – LNG), orçado em um trilião de kwanzas, instalada no município petrolífero do Soyo.

Bengo -
O Governo Provincial promete continuar a apostar nos sectores da Saúde e da Educação, para melhorar a assistência médica e inserir mais crianças no sistema de ensino. Para 2013, prevê-se aumentar a população estudantil, na sequência de 114 salas construídas no presente ano lectivo, para diferentes níveis de ensino. O governador do Bengo, João Bernardo de Miranda, garante que o número de crianças fora do sistema de ensino registou uma significativa redução, passando de 5.112, no ano anterior, para 3.432.
O Governo Provincial pretende fazer com que, até 2015, não haja crianças fora do sistema de ensino por insuficiência de salas.
O governador anunciou, para 2013, a construção do complexo escolar regional de formação de formadores, em Quibaxe, com capacidade inicial de 1.260 estudantes. Durante o ano que hoje termina, foram incrementados vários projectos, como a construção e reabilitação de escolas, postos médicos, hospitais e centros de saúde. Para o próximo ano, o Governo vai dar atenção especial à aplicação dos projectos de água potável às comunidade e segurança alimentar.

Cunene -
A cidade de Ondjiva e as restantes vilas da província do Cunene vivem um dos melhores momentos da sua trajectória, fruto da concretização, pelo Executivo, de um conjunto de acções voltadas para o abastecimento de água, energia eléctrica, saúde e educação.
Não obstante a província conhecer uma transformação assinalável nos últimos anos, com a disposição de infra-estruturas básicas, num processo iniciado após o alcance da paz, em 2002, o ano de 2012 teve, sem dúvidas, um sabor particular, sobretudo para os habitantes da cidade de Ondjiva, por ter sido resolvido um problema que faz parte da história da população local: a falta de água para consumo. Este ano, os habitantes da capital da província deixaram de consumir água dos poços ou de a comprar a preços altos a cisternas.
O fornecimento de energia eléctrica às sedes municipais e comunais deu também saltos qualitativos e quantitativos. As ruas da cidade, vilas e comunas estão melhor iluminadas.
Destaque também para a inauguração da primeira fase do porto seco, em Santa Clara, projectado destinado a facilitar o intercâmbio comercial entre Angola e a Namíbia. Trata-se de uma infra-estrutura moderna e de grande envergadura, que alberga todos os serviços de controlo de entrada e saída de pessoas e mercadorias.
Outro destaque é, sem dúvida, a inauguração da nova linha de energia de alta tensão, que provém da vizinha Namíbia, para reforçar o fornecimento à cidade de Ondjiva, Santa Clara e Namacunde.

Huambo –
Pelo menos 11 escolas primárias, do I ciclo do ensino secundário e do II ciclo, com 26 salas cada, foram construídas na província do Huambo, em 2012, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos.
O director provincial do Huambo da Educação, Manuel Sampaio do Amaral, afirmou que mais de 103.530 alunos deixaram de estudar em lugares impróprios, como debaixo das árvores.
O sector da Educação, na província do Huambo, regista passos significativos em termos de níveis de aproveitamento escolar.
O director provincial da educação realçou que, de 2008 a 2012, a população escolar no ensino primário cresceu cerca de 20 por cento, o que corresponde a um crescimento médio anual de cinco por cento. Nesta altura, nos três subsistemas, estão matriculados 655.201 alunos e a previsão é de atingir um milhão de alunos nos próximos tempos. Em 2008, o sector da educação possuía cerca de 14.361 professores, número que em 2011 passou para 22.396. Com a realização do concurso público feito em 2012, há agora 23.751 professores.

Huíla -
O governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, afirmou que a província registou, em 2012, um crescimento aceitável, fruto do incremento de diversos programas concebidos pelo Executivo, para reanimar e fortalecer as infra-estruturas de impacto socioeconómico.
Segundo João Marcelino Tyipinge, as realizações atingiram as zonas urbanas e rurais, tendo criado condições para facilitar o acesso e aumentar o número de crianças no sistema de ensino.
O governador caracterizou o relançamento do programa “Sim eu Posso” como uma via favorável para a expansão da alfabetização, que contempla igualmente os reclusos iletrados. Ao referir-se ao sector da Saúde, salientou que a assistência médica e medicamentosa está mais próxima da população, com a construção de hospitais, centros e postos de saúde em todos os municípios.
Os serviços municipalizados de saúde, acrescentou, conferiram outra dinâmica à prestação de serviços com a disposição de ambulâncias e fármacos. “Estão em construção e com obras a bom ritmo de execução os hospitais pediátrico, psiquiátrico e maternidade, nas novas centralidades”.
Para 2013 está prevista a concretização de projectos centrados na elevação do bem-estar social, material, cultural e espiritual dos cidadãos, designadamente a construção e ampliação de escolas, centros de saúde, casas, sistemas de distribuição de energia e água potável, assim com a assistência social.
A montagem de duas centrais térmicas na cidade do Lubango, as obras de reabilitação da barragem hidroeléctrica da Matala, ainda em curso, o alargamento da rede de distribuição de energia eléctrica, assim com da estação de tratamento de água em vários municípios são ganhos palpáveis.
O relatório síntese do governo provincial da Huíla atesta igualmente a construção de um laboratório para análise da qualidade da água potável na cidade do Lubango e o registo gratuito, que permitiu aos cidadãos tratar dos documentos pessoais e terem assim acesso a outras benesses.
A construção de cem casas nos municípios da Cacula e Chibia, no âmbito do projecto Angola Jovem, tal como a distribuição de terrenos e material diverso para incentivar a auto-construção dirigida, figuram como acções a que o Executivo vai dar continuidade nas novas centralidades da província.
A total reabilitação do troço que dá acesso à zona turística da Tundavala, a realização do fórum nacional da mulher rural, o encontro provincial das autoridades tradicionais, a realização da Conferencia Científica da Universidade Mandume Ya Ndemufayo constituíram ainda destaque de 2012 na Huíla. A carteira de projectos inscritos no Plano de Desenvolvimento da província para os próximos quatro anos totaliza 544 acções.

Tempo

Multimédia