Províncias

Obras da subestação eléctrica ficam concluídas em 2022

Manuel Fontoura | Ndalatando

A primeira pedra para a construção das obras da subesta-ção eléctrica de 40 megawatts, para o fornecimento de energia aos municípios de Bolongongo, Banga e Ngonguembo, na província do Cuanza-Norte, foi lançada no fim-de-semana, cuja conclusão dos trabalhos está prevista para o primeiro semestre de 2022.

Obras da subestação eléctrica ficam concluídas em 2022
Fotografia: DR

A cargo da empreiteira Elecnor, os trabalhos estão orçados em 88 milhões de euros, dos quais 15 por cento já foram disponibilizados ao empreiteiro, que conta com 300 trabalhadores, dos quais 14 por cento expatriados.

As obras contemplam, entre outras actividades, a montagem de uma linha de transporte de 60 quilowatts Ndalatando/ Golungo-Alto, a construção de várias células de média tensão e sete mil ligações domiciliárias.

No acto do lançamento das obras, o secretário de Estado da Energia, Belsa Costa, disse que o projecto enquadra-se no plano de acção do sector de 2018/2022, que visa a extensão da rede eléctrica nos municípios. “Com este projecto, o Cuanza -Norte vai ser a segunda província do país, depois de Luanda, com todas as sedes municipais electrificadas ”, sublinhou.

O governador provincial do Cuanza -Norte, Adriano Mendes de Carvalho, disse que a tramitação burocrática para a realização das obras foi longa. “Tínhamos a certeza de que estávamos a travar uma luta com um fim vitorioso, porque contávamos com o apoio do Governo central, em particular do Titular do Poder Executivo”, frisou.

Para o governador, o número de consumidores de energia eléctrica em Bolongongo, Banga e Ngonguembo vai permitir a arrecadação de mais receitas para os cofres da província, quer através do pagamento do consumo quer dos investimento que vão surgir por força da corrente eléctrica.

Tempo

Multimédia