Províncias

Obras na via de acesso ao Ngolome podem relançar a pesca artesanal

Manuel Fontoura | Ndalatando

As obras de reabilitação do troço Quilómetro14-localidade do Ngolome, no município de Cambambe, na Estrada Nacional 230-A, província do Cuanza-Norte, poderão relançar a pesca artesanal naquela região, visto que o Ngolome tem uma das maiores lagoas do país, onde abunda o peixe cacusso.

Obras na via de acesso ao Ngolome podem relançar a pesca artesanal
Fotografia: DR

Desde o arranque dos trabalhos, em Maio passado, já foram realizadas obras de desmatamento e terraplanagem, numa extensão de quatro quilómetros. A empreitada termina no próximo ano.

O administrador municipal de Cambambe, Adão Malungo, admitiu que, quando o troço estiver completamente reabilitado, o Centro de Formulação e Processamento de Pescado, construído em Ngolome, em 2015, poderá funcionar, pois desde então continua inoperante.

A retomada da circulação rodoviária na região em Ngolome, segundo Adão Malungo, vai relançar não apenas a pesca, mas também a agricultura da região, sectores que são apoiados pelo Ministério da Agricultura e as Nações Unidas desde 2017, através de um programa que contempla assistência técnica, apoio financeiro e formação de pescadores e agricultores.

“Este programa prevê apoio aos pescadores e agricultores de Ngolome, com vista à criação de condições para tornar as comunidades locais auto-sustentáveis.

Portanto, queremos, essencialmente, transformar Ngolome num pólo de produção de pesca artesanal, que tenha capacidade para fornecer peixe a mercados do país e além-fronteiras”, disse. Com 1.500 habitantes, Ngolome tem cinco povoações, 20 cooperativas piscatórias e desenvolve a agricultura familiar.

Tempo

Multimédia