Províncias

Obras em atraso por falta de verbas

A construção e reabilitação das estradas da província do  Moxico que, este ano, previa asfaltar 465 quilómetros dos percursos, entre vias secundárias e terciárias,

ficou comprometido por falta de pagamento às construtoras, disse ontem, ao Jornal de Angola, na cidade do Luena, o director  provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA).
David Tito esclareceu que constava do programa de construção e reabilitação das estradas, a conclusão dos troços que ligam Ninda-Tchume, Luzy-Luvuei, Luzy-Cassamba, Cassamba-Kangamba e Luena-Leua.
 “A reabilitação das vias na província decorre a um ritmo lento, pelo facto dos empreiteiros alegarem o não cumprimento no pagamento dos trabalhos”, informou David Tito, que referiu que com base neste pressuposto foi impossível concluir este ano o programa de reabilitação e construção de estradas a nível da província, tendo em conta que as empresas decidiram parar  os trabalhos.
 Dos 465 quilómetros de estradas que estavam previstos para serem concluídos este ano, apenas foram intervencionados 36 quilómetros, terraplenados 160 quilómetros e desmatados 182 quilómetros. 
Os 36 quilómetros de tapete asfáltico representam, na perspectiva do director  provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola, um saldo negativo nas estatísticas, o que equivale a 7,74 por cento.

Tempo

Multimédia