Províncias

Obras na via de acesso à província continuam a decorrer a bom ritmo

Marcelo Manuel | Ndalatando


 
O Programa de Reconstrução Nacional, que contempla a reabilitação das vias de acesso à província do Kwanza-Norte, permitiu, nos últimos quatro anos, a asfaltagem de 255 quilómetros dos troços entre o Zenza do Itombe e o município do Lucala, e Auto-Dondo desvio da Munenga, incluindo os das cidades de Ndalatando, Dondo e  Samba-Cajú.


 
O Programa de Reconstrução Nacional, que contempla a reabilitação das vias de acesso à província do Kwanza-Norte, permitiu, nos últimos quatro anos, a asfaltagem de 255 quilómetros dos troços entre o Zenza do Itombe e o município do Lucala, e Auto-Dondo desvio da Munenga, incluindo os das cidades de Ndalatando, Dondo e  Samba-Cajú.
O programa, que tem como finalidade melhorar a circulação de pessoas e bens, está a beneficiar ainda os itinerários de Maria Teresa a Kachilo, Ndalatando ao Golungo-Alto, Auto-Dondo a São Pedro da Kilemba, Lucala a Negage, Samba-Cajú, Banga, Kikulungo, Bolongongo até a comuna de Terreiro.
Na região dos Dembos, Norte da província, estão a ser terraplanadas as picadas do Ngonguembo, passando pela comuna de Kambondo até a Cerca, Beira-Alta, Golungo-Alto ao Kamuachi, bem como Golungo-Alto, Kamame até a Banga, num total de 750 quilómetros.
O director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Mendonça Luís, disse que depois dos trabalhos de terraplanagem, os troços vão ser asfaltados, com prioridade para as vias da região dos Dembos, onde a colocação do asfalto termina em 2012.
Mendonça Luís sublinhou que os trabalhos na região dos Dembos estão na fase de acomodação do terreno, adiantando que a estrada vai ter nove metros de largura e duas faixas de rodagem.
“Os atrasos na execução das várias obras em curso na província são derivados principalmente da chegada tardia do material proveniente do exterior, abastecimento tardio dos derivados do petróleo e as chuvas”, disse Mendonça Luís.
Estes registam-se no troço Lucala/Negage, numa extensão de 190 quilómetros, onde as obras começaram em finais de 2007, com termo previsto para 2010. Até ao momento, estão asfaltados oito quilómetros, enquanto outros 55 estão terraplanados.
 
Luinga ligada por terra
com Malanje e Uíje

 
Os trabalhos de terraplanagem, para a consequente asfaltagem, da via que liga a comuna do Luinga (Ambaca) com as províncias de Malanje e Uíje, numa extensão de 37 quilómetros, em curso desde Abril de 2008, decorrem a bom ritmo, apesar de um ligeiro atraso, devido às fortes chuvas que se abateram sobre a região durante o ano passado.
A estrada vai ter nove metros de largura e duas faixas de rodagem. Já foram terraplanados 31 quilómetros. O passo seguinte é a implantação da camada de desgaste. A conclusão da empreitada estava prevista para Dezembro, mas, devido a situações naturais próprias da região, foi prorrogada para Agosto de 2010. A obra, que gerou 190 empregos, está orçada em 27 milhões de dólares.

Pontes  
 
As pontes no Kwanza-Norte não inspiram qualquer risco de desabamento ou movimentos impróprios, devido à manutenção regular efectuada por técnicos do INEA, revelou o director Mendonça Luís.
O responsável afirmou que apenas duas pontes, na estrada 230, estão interditas, devido ao avançado estado de degradação.
Trata-se das pontes do Kiringo e Subo, na região de Dange-Ya-Menha, a 35 e 37 quilómetros de Ndalatando. Mendonça Luís disse que existem planos para a reconstrução das mesmas, tão logo estejam concluídos os estudos técnicos.

Tempo

Multimédia